sexta-feira, 30 de maio de 2008

António Costa responde ao Viver na Alta de Lisboa

Do Gabinete do Sr. Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Dr. António Costa, chegou há pouco a resposta ao email enviado na passada 3ª feira. Para os que não conseguem ver a imagem (cliquem-lhe para a aumentar), podem ler aqui a transcrição:


Câmara Municipal de Lisboa
Gabinete do Presidente

À
Viver na Alta de Lisboa
viveraltadelisboa@gmail.com

Assunto: Alta de Lisboa — que futuro?
Solicita-me o Senhor Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de acusar a recepção da carta de V. Exa. sobre o assunto acima mencionado, e agradecer as criticas construtivas que fez e que serão tomadas em devida conta, e de transmitir que o mesmo foi encaminhado para o Gabinete do Senhor Vereador Manuel Salgado de modo a que sejam tomadas as devidas diligências sobre o exposto.

Com os melhores cumprimentos,
O Adjunto do Gabinete
Miguel Alves



A preparar-se para mais um aniversário, o Viver na Alta de Lisboa - BI cívico agradece a pronta resposta do Sr. Presidente da CML e aguarda com expectativa o resultado da reflexão das críticas construtivas que têm sido feitas aqui nos últimos 3 anos.

21 comentários:

Pedro disse...

Coitado do vereador Salgado. Mandam-lhe tudo quanto é chatice para cima do colo...

Anónimo disse...

balelas!!!

é só chupistas a passar a bola uns para os outros!!!

Anónimo disse...

Quando um político (ou o seu staff) não percebe o impacto de um blog que muitos dos 30 mil dos seus eleitores lêem, está numa era que já acabou.

Se ele fosse um presidente «de hoje», mandava directa e pessoalmente, não um ofício, mas um mail cortês.

Esperava mais do António Costa, que sempre admirei.

Mr. Steed disse...

Fica aqui uma ideia:

Que tal uma campanha aqui no blogue para convencer a malta habitante a recensear-se como eleitor aqui na zona?

Um dos problemas é que podemos ser 30 mil mas muitos, como habitantes recentes, ainda não se inscreveram como eleitores aqui na área da Alta.

Eu sou um deles, tenho de mexer o rabo e ir mudar a morada.

Luís Lucena disse...

Fosse eu um amante do Sr. Presidente ou do seu Adjunto e já estaria cheio de ciúmes. É que o meu email para o mesmo destinatário foi de 24 de Maio (faz hoje uma semana) e ainda nada de mensagens por parte do Sr. Presidente ou do seu Adjunto. É injusto! Ora bolas!

Anónimo disse...

de facto!
Esse senhor não respondeu, apenas nos deu a conhecer que recebeu o email.
Esta gente pensa que andamos a dormir!!!
Não entendem que os tempos em que os eleitores se contentavam com um sorriso e um mangerico acabaram!

Luís Lucena disse...

Nita, Maria, Luísa Ferreira, António Mendonça, algum de vós recebeu resposta aos vossos emails por parte do Gabinete do Sr. Presidente? Eu não recebi.

Também é justo dizer, por ser verdade, que - após o reenvio da mensagem para os outros emails camarários - recebi um email por parte do Sr. Vereador José Cardoso Pires (pelouros Finanças, Património, Recursos-Humanos, Modernização Administrativa), tendo-se seguido uma troca de emails. Foi a única entidade a responder (!). De qualquer forma, substantivamente, nada adiantou quanto às questões de fundo:
.PORTA SUL,
.EIXO CENTRAL,
.LIGAÇÃO AO CAMPO GRANDE,
.AV. SANTOS E CASTRO,
.ESQUADRA DA POLÍCIA,
.RELAÇÃO CONTRATUAL CML-SGAL
Nada! Zero. Comprometeu-se no entanto a voltar ao contacto quando tiver novidades (assumindo implicitamente não ter qualquer novidade).

Penso que este Vereador não tem a obrigação de conhecer a fundo os dossiers em questão; mas e o Vereador do Urbanismo, o Presidente, o Vice-Presidente? Não deram qualquer resposta. Nada de nada de nada. Silêncio tremendo.

Aliás tal como a resposta que o Viver recebeu. Nada de novo. A (não) resposta do Sr. Adjunto do Gab. Presidente chuta a bola novamente para canto, ou seja, reencaminha para o Sr. Vereador Manuel Salgado que já teve a oportunidade de dizer e escrever sobre o assunto (um número considerável de palavras), mas não concretizando, no entanto, nem obras, nem prazos. PRAZOS!!!

Resumindo, a CML trata o PUAL como trata os moradores do Alto do Lumiar. Com desprezo, desconsideração, abandono, esquecimento.

Anónimo disse...

é pois vergonhoso que o sr. presidente tenha respondido ao blog Viver que não está constituido legalmente e não responde aos restantes moradores que tambem são municipes!

Anónimo disse...

Boa tarde.
A questão do recenseamento tem a sua piada.
Mas não é aí que lhes dói.
Eu queria ver, não 5 ou 6 mil, como é óbvio, mas 500 ou 600 moradores em desobediência civil recusarem-se a pagar o IMI.
Eu sei que isto parece muito grave, mas estes mesmos 600, unidos, podiam contrapor à mais que certa acção da câmara uma acção em tribunal contra esta.
A moral desta triste estória com a CML/SGAL é a velha máxima de que "Quem paga adiantado é mal servido".
A câmara usou os compradores de casas (venda livre), não a SGAL, de quem não tenho pena nenhuma, para resolver o problema dos bairros de lata (PER). Como a SGAL caiu na asneira de aceitar fazer os realojamentos todos antes da conclusão integral do projecto, é evidente que a CML, daqui para a frente, vai deixar cair todos os compromissos que assumiu, através das desculpas que a imaginação ditar, sendo os maiores prejudicados os moradores, porque a SGAL, essa, pode chatear-se e fazer uma retirada estratégica. Eu não posso.
A CML já entrou na fase de enrolar, atirar areia para os olhos, adiar, etc.
A CML até já conseguiu pôr no bolso o nosso D. Quixote, o nosso campeão das causas perdidas, que contribuiu grandemente, entre outras coisas, para que o Parque das Conchas seja usufruto de todos.
Mas isso foi há muito muito tempo numa galáxia longínqua... Talvez daqui a 1000 anos volte a votar nele.
E como me sinto enganado, e não é só um sentimento, posso prová-lo em tribunal, como vocês sabem, tenciono exercer o meu direito à indignação suspendendo o pagamento do IMI.
E para aqueles exaltados que dizem que a Alta morreu e desistem de lutar, talvez não o fizessem se percebessem a desvalorização que daí pode advir para o seu património. Até para quem se quer ir embora, é melhor lutar para não perder muito dinheiro.

Um abraço a todos, bom fim-de-semana, gozem bem o dia da criança com os vossos filhos/netos, que não têm culpa destas coisas dos adultos.

Luísa Ferreira disse...

Pois não, Luís Lucena, também não recebi resposta ao meu email por parte do Gabinete do Sr. Presidente...

Luís Lucena disse...

Acho muitíssimo bem que o Sr. Presidente (directamente ou através do seu Adjunto) responda ao Viver. O Viver é representativo de uma forma cívica de participação que me parece muito salutar. Por isso mesmo representa algumas pessoas - pelo menos as que se revêem nele ou que nele participam com alguma frequência, passivamente, editando “posts” ou comentando.

O que é perfeitamente inaceitável é a falta de posição por parte do Sr. Presidente (uma vez que a do Vereador do Urbanismo é completamente nula) porque as temáticas do Alto do Lumiar continuam sem resposta e não podem, de maneira nenhuma, ser consideradas questões irrelevantes.

A importância que se dá ao Alto do Lumiar corresponde à importância que se dá a dezenas de milhares de pessoas e à importância que se dá a um Projecto como o PUAL – tudo demasiado importante para estarmos perante uma omissão de posição.

É como se não existíssemos, como se não tivéssemos nome, como se estivéssemos para além de uma muralha especialmente erigida (começa ali nas Calvanas) para nos excluírem, para nos esconderem para nos banirem.
É ainda como se planear ou assumir compromissos ou a vontade de afirmar a capacidade de realização nenhum valor tivesse: se assim quisermos ou deixarmos, vencerá a falta de carácter, a falta de honra e a falta de robustez intelectual; será a completa escuridão civilizacional e humana; será a redução da nossa existência às funcionalidades mais básicas; a transformação de mulheres e homens em “trolas” e “trols”, Huga Huga. Huuu.

Depois há a questão da educação. Não respondem. Pronto.

Academicamente, há ainda a possibilidade de estarem completamente perdidos, não saberem onde é o Alto do Lumiar ou não saberem por onde pegar, não terem qualquer ideia. Mas espero - para bem de todos nós - que seja só mesmo uma hipótese académica.

Vítor disse...

Alguma calma é precisa....
Por acaso têm andado por lisboa? Já repararam que o problame da Alta (o famoso abandono) não é um problema unicamente nosso? Que é da cidade.
Já repararam que na maioria das outras zonas da cidade: os problemas de acessos são iguais ou piores do que os nossos (vide telheiras, benfica, expo, etc....); que os espaços verdes estão na mesma ou (geralmente) pior situação do que os nossos; que a relação qualidade preço da habitação é bem pior do que na Alta? Por outro lado quantas histórias conhecem de integração/coesão social tão rápidas e bem sucedidas como a da Alta (ainda falta muito, mas não é o Bronx que alguns temiam)? è verdade que isto está parado. Agora acham que uma zona com tanto potencial em termos de espaço e de infra-estruturas,no prolongamento do eixo-central (parece panfleto, but true) será totalmente abandonada? Nem a SGAL nem qualquer Presidente da CML a médio prazo deixará que isto aconteça. Agora que há que agir há.
Nem que seja por não poder deixar que 3, 4 ou mais anos de atrasos sejam normais e que nos habituemos a viver no que não sonhamos quando viemos para cá. é que a vida é curta. Mas, com tanto meio de comunicação social ávido por boas histórias. Porque não chamá-los (sem dramatismos) para mostrar esta história com um princípio feliz que só não é de successo porque não nos deixam que o seja? Há um ano da campanha eleitoral acho mesmo boa ideia. è que a vida é mesmo curta, mas é preciso é ter calma...

Anónimo disse...

A próxima Reunião Pública Descentralizada da Câmara Municipal de Lisboa realiza-se no dia 4 de Junho, às 18h30, nas instalações do Casa do Concelho de Tomar, na Rua Flores Lima n.º 8, tendo como ponto único na Ordem de Trabalhos a “Audição dos Munícipes”.

Esta reunião destina-se preferencialmente aos moradores das freguesias de Alvalade, Campo Grande, S. João de Brito e S. João de Deus, que se poderão inscrever, para intervir, nas Juntas de Freguesia de S. João de Deus e Campo Grande no dia 21 de Maio, entre as 10h00 e as 12h30, e nas Juntas de Freguesia de Alvalade e S. João de Brito no dia 21 entre as 15h00 e as 18h00.

As inscrições poderão igualmente ser efectuadas pelo e-mail dacm@cm-lisboa.pt ou pelo fax 21 322 70 12, até ao dia 21 de Maio às 18h00, devendo o munícipe, neste caso, informar acerca do assunto a tratar e indicar o seu contacto telefónico.

As intervenções do público, num máximo de 20, serão ordenadas de forma a priorizar as que incidam sobre assuntos de interesse da zona, colectivos ou públicos.
__________________________________

(Vinha na E-newsletter da CML que recebo)

É um bom terreno para dar inicio a uma vicissitude urbanística.

Anónimo disse...

Olha que boa ideia esta do IMI!!!
Quem era o d. quixote?

Anónimo disse...

José Sá Fernandes.

Nita disse...

Eu recebi um e-mail acusando a recepção daquele que enviei, informando-me que o assunto seria encaminhado para o vereador Manuel Salgado. É uma atitude que assenta bem. Resta saber se terá desenvolvimentos. Todavia, parece-me que a estratégia de concertação no envio de e-mails para o gabinete do senhor Presidente da Câmara é capaz de criar o seu impacto.

António Mendonça disse...

Eu também não recebi nenhuma resposta ao email enviado.
Em relação à mudança de morada nos cadernos eleitorais declaro-me culpado... Também não mudei, e neste momento nem sei do meu cartão de eleitor e, imagino que seja necessário para proceder à troca.

Anónimo disse...

jose sa fernandes = d.quixote
????? = sancho panca!

alguem e capaz de resolver este problema?

Luís Lucena disse...

António Mendonça,

Posso dizer-lhe que a mudança do meu cartão de eleitor foi muito fácil e rápida. Fui à Junta de Freguesia (Lumiar) que emitiu o novo cartão muito rapidamente. Não me recordo de pormenores mas foi um processo muito expedito (aliás fui pedir uma certidão/declaração de agregado familiar e ser eleitor local era condição necessária).

Acredito que o facto de não saber onde se encontra o seu actual cartão de eleitor não será uma objecção relevante (talvez possa ser resolvida com uma declaração feita na própria JF).

Luís disse...

Recebi a mesma resposta que o Viver 3ou 4 dias após envio da minha carta.

Anónimo disse...

Eu ainda não recebi nenhuma resposta ao email enviado. E enviei mais do que um!!!!