segunda-feira, 9 de abril de 2007

Pista de ski impede Parque Periférico?

A ideia do Parque Periférico, projectado pelo Arq. Gonçalo Ribeiro Telles, é ligar Monsanto até ao vale da Ameixoeira, passando por Benfica, unindo todas as quintas do Paço do Lumiar e acabando na Alta de Lisboa, aproveitando o Parque Oeste, projectado pela arq. Isabel Aguirre de Urcola e que está a ser criado de raiz desde 2005.

Para permitir a continuidade da área verde, tornando-a transitável em toda a sua extensão, o projecto do Eixo Norte-Sul, contíguo ao Parque Oeste, inclui um pequeno troço em viaduto à saída dos túneis sob o qual passará o Parque Periférico. Quanto custou esta pequena obra de arte?


Mas a confirmarem-se os planos para a pista de ski até agora publicados em vários jornais e revistas, a sua implantação irá estender-se desde o Forte da Ameixoeira até à recentemente inaugurada, apesar de não concluída nem ainda utilizável, pista de atletismo Moniz Pereira.

Ora se a pista de atletismo já representou um corte na área verde que se previa inicialmente para o Parque Oeste, motivando o desagrado de Isabel Aguirre de Urcola, a pista de ski, a confirmar-se o que as imagens até agora apresentadas sugerem, não só ocupa o que resta de todo o braço norte do Parque Oeste, com decepa o Parque Periférico, perdendo-se mais área verde em Lisboa e tornando-se esbanjadora e inútil a opção de ter construído o troço suspenso no eixo Norte-Sul.

À atenção da UPAL-CML, da ARAL, de todos os movimentos cívicos que pugnam pelos interesses da população, e do MPT - Partido da Terra, cujo presidente honorário é o Arq. Gonçalo Ribeiro Telles.

7 comentários:

gentedelisboa disse...

Já reparou que o seu blog foi adicionado aos links de Lisboa é Gente (http://www.gentedelisboa.blogspot.com)?...

Tiago disse...

Não tinha reparado, não...

Anónimo disse...

Era bom é que o BE anda-se a tratar destes assuntos em vez de fazer publicidade em blogues.

Anónimo disse...

Com honestidade, não percebo esta falsa questão dos tais "cortes nas àreas verdes"... parece-me os a recorrência do discurso demagogo e "demodé" de determinadas alas políticas...

Questiono:
- Seria preferível manter a tal zona verde como está, com a fabulosa utilização que tem ao momento?
- Seria melhor gastar alguns quantos euros e dotar a área de relva e àrvores para serem apreciadas ao longe, nas varandas das mossas casas? (sim, porque de minha casa, vejo muito pouco uso do tal parque oeste... mas fica bonito, lá isso fica... ou ficará?!)
- Ou não é uma mais-valia, para os "interesses da poupulação" a criação de espaços que possam ser utilizados e que chamem mais pessoas ao lazer?

Por mim, entre um espaço verde e um espaço que, como os que estão a ser feitos e/ou estarão a ser projectados, são sempre benvindos, pois decerto que irão contribuir para o aumento da vivência da nossa cidade, sem que para tal haja grandes impedimentos à circulação pela tal àrea verde que estaria pensada...

E se a questão é apenas a da côr... que se pinte a pista de tartan e a de ski... ficam bem de verde...

Tiago disse...

Quando o Parque Florestal de Monsanto foi criado de raiz, também duvido que a utilização fosse extraordinária. Leva sempre uns anos para as árvores crescerem, para as pessoas se habituarem a frequentar os espaços, e agora é o sucesso que tanto se apregoa, considerado também o pulmão verde da cidade.

Não me chateia a existência da pista de atletismo. Chateia-me que Sporting e Benfica, para além de lhes custar imenso pagar impostos, ainda sejam saloios a ponto de não querer partilhar o mesmo estádio em Lisboa, e mais uma vez gastando recursos públicos constróem cada um o seu e ainda despacham para outros a responsabilidade da construção da pista de atletismo.

E chateia que essa pista tenha de ser construída num espaço que se previa verde e não noutra área qualquer. Mas enfim, sempre será uma boa oprtunidade de criar finalemnte uma densa barreira de árvores entre o Eixo Norte-Sul e o resto da cidade, porque fazer desporto ao lado de uma auto-estrada é capaz de não ser assim tão saudável.

Agora quanto à pista de ski, já nem ponho em causa por poder vir a ser um gigantesco elefante branco. A UPAL recebeu a ideia de "braços abertos", mas não sei se reparou no pormenorzinho do parque periférico. É que quem se lembrou de levantar o viaduto lembrou-se do parque periférico, e não convém brincar com decisões que avançam e andam para trás e custam muito dinheiro.

A UPAL que confirme a história, que diga se avança ou não com aquela pista, que explique porque não comparticipa o eixo pedonal e o Centro Social da Musgueira, por exemplo. Já agora que fale sobre os armazéns Ruela e a porta Sul.

Fixemobil disse...

Mas... é neve! Neve! Poderemos andar de trenó e fazer bonecos. É o sonho de Natal de qualquer criança ou adulto!

É o que faz sentido num país mediterrânico como o nosso!

Para que é que precisamos de espaços verdes? Temos que rever as nossas prioridades! ;)

Anónimo disse...

Por favor visitar:

www.snowflex.com

e

www.youtube.com (search :SNOWFLEX)

para ter melhor ideia da pista planeada com investimento PRIVADO.