quarta-feira, 28 de junho de 2006

Completa-se hoje um mês e dez dias desde a visita do vereador António Prôa ao parque infantil na Rua Adriana de Vecchi, efectuada a 18 de Maio, e que nos levou a decidir pela anulação da acção de limpeza que tínhamos agendado (em resposta ao mote lançado aqui pelo Tiago).
Parece-nos que terá sido a CML a efectuar alguma da limpeza observada no dia 27 de Maio:

Fotos: Ana Louro

Mas, para além disso, o portão continua caído e o estado de degradação mantém-se:

Foto: Rodrigo Bastos
Será para quando a requalificação dos canteiros e reparação das anomalias deste parque infantil por parte da SGAL e a sequente recepção pela autarquia?
Seria preferível o seu encerramento até a situação estar resolvida?
Este é certamente um caso localizado, mas demonstra bem alguma falta de coordenação existente entre as entidades responsáveis pelo desenvolvimento do Plano de Urbanização do Alto do Lumiar, nomeadamente a SGAL e a UPAL.

4 comentários:

joana disse...

Infelizmente, Ana, não acho que seja um caso localizado. Ou melhor, isolado. Acho que há muitos assim.

Ana Louro disse...

Sim, sim, isolado não é. Queria dizer que é um caso específico localizado juto à Colina S.João de Brito, e que se calhar à partida interessaria mais a quem mora nas imediações, mas temos exemplos semelhantes na maioria dos parques infantis situados junto ao Condomínio da Torre, por exemplo (pelo menos até à passagem da sua manutenção para a Junta de Freguesia, sendo que as anomalias da construção ainda não foram reparadas), e por isso este é apenas um exemplo de como as coisas não estão a funcionar como desejaríamos (e como deviam). Neste caso particular passaram talvez mais de 2 anos e meio desde a data em que os primeiros moradores foram para a Colina e, aparentemente, o parque infantil ainda não foi entregue à CML (pelo menos ainda não tinha sido entregue até ao dia 18 de Maio).
Desinteresse?
Falta de respeito pelos munícipes?
Imcompetência?
Desresponsabilização? Desresponsabilização certamente que sim, pois caso contrário não acredito que estas situações se mantivessem por aqui, como a passadeira que tanta falta faz na Rua Helena Vaz da Silva e que continua por ser marcada.
Bom, a esta hora os vereadores da CML devem estar em reunião a zelar pela qualidade de vida em Lisboa...

Tiago disse...

Ana, afinal o que foi dito pelo Vereador António Prôa e pelos restantes responsáveis camarários naquela visita à Alta de Lisboa?

Ana Louro disse...

Foi dita tanta coisa e foi, aparentemente, feito tão pouco. Foi dito que a SGAL não teria entregue ainda o parque e canteiros à CML. Os canteiros nunca foram plantados (as flores nasceram espontaneamente) e têm sido limpos pelas empresas de jardinagem que tratam dos canteiros privados dos condomínios contíguos e uma ou outra vez pela CML ou Junta de Freguesia (parece que por iniciativa dos próprios funcionários da limpeza). Da parte da UPAL/SGAL havia um impasse porque faltavam umas telas finais quaisquer para que a passagem de testemunho fosse feita...