sábado, 24 de setembro de 2005

Jardins de S. Bartolomeu - efeito estufa II

Há muitas semanas foi dado eco de uma carta que um futuro morador dos Jardins de S. Bartolomeu enviou à SGAL indagando a possibilidade de instalação de ar condicionado no edifício. A motivação é a extensa área de vidro das janelas das salas, que tem o lado óptimo da luminosidade, mas, pela ausência de estores, propicia um aquecimento exagerado nos meses mais quentes.

Entretato, o futuro morador, o Sérgio Sá, criou um blog dedicado à Alta de Lisboa, o Malha 20.1, e publicou a resposta da SGAL.

4 comentários:

Juan disse...

Bela resposta,não haja dúvida :(

Rodrigo Bastos disse...

Acho que a SGAL não deve ser responsabilizada por isto pois não estava no projecto certo?

Porque não veem quais são as tais normas de isolamento térmico que foram aprovadas pela CML?

Tiago disse...

Rodrigo, também não acho que exista qualquer culpa por parte da SGAL. Eu sempre soube que S. Bartolomeu não tinha pré-isntalação de AC. E também ainda nenhum dos moradores pode ter uma ideia 100% precisa acerca da amplitude térmica do apartamento enquanto não viver lá. Mas pode-se tirar ilacções a partir de S. Gonçalo, onde também se optou pela "solução" de não colocar estores. Irei fazer um post sobre isto, mais tarde.

Nunca fui adepto de guerras, sobretudo quando a razão não está completamente definida. Aqui o que me move é procurar a resolução que seja o mais eficaz, ecológica e estética possível. E, se calhar, o AC não entra nestas contas.

Pedro Veiga disse...

Talvez o problema não seja assim tão grave visto estas fachadas estarem viradas a Sul. Se fossem viradas a Oeste seria pior porque apanhavam o sol quente da tarde, que é o que acontece na minha casa!