terça-feira, 2 de agosto de 2005

Jardins de S. Bartolomeu - efeito estufa



O tema tem vindo a ser discutido aqui, e hoje recebi um muito amável email do Sérgio Sá a mostrar uma carta que irá enviar à SGAL pedindo esclarecimentos acerca das soluções para o efeito estufa dos Jardins de S. Bartolomeu. Como me foi autorizado a dar eco aqui dessa carta, optei por transcrevê-la integralmente para que todos possamos acompanhar o processo.

Aproveito também para saudar a iniciativa do Sérgio que a todos nós ajuda na compreensão do problema.


Exmos Srs,

Na qualidade de promitente comprador de uma fracção no empreendimento Jardins de S. Bartolomeu, venho por este meio solicitar o seguinte esclarecimento.

Tenho-me vindo a aperceber com crescente preocupação que o período de exposição solar a que estão sujeitas as fachadas do empreendimento em referência é elevado o que, apesar das reconhecidas vantagens que se lhe reconhece, possui igualmente alguns efeitos menos positivos.

Como é do Vosso conhecimento, as fracções dos Jardins de S. Bartolomeu possuem uma ampla superfície vidrada, sobretudo na fachada virada a sul, a qual substitui na totalidade a parede.

Tendo presente este facto, é de prever que a referida exposição resulte num aquecimento excessivo, sobretudo durante os meses de verão. Assim sendo, é de prever que muitos condóminos, entre os quais me incluo, venham a procurar minorar os impactos desta exposição solar, nomeadamente através da instalação de aparelhos de ar condicionado.

Acontece que, tanto quanto me é dado saber, o edifício não possui a infra-estrutura necessária para a instalação deste tipo de equipamentos, o que, infelizmente, não obsta a que os condóminos procurem resolver o seu problema, nomeadamente recorrendo às fachadas exteriores para alojar as unidades de refrigeração.

Como é de imaginar, esta não é uma solução que me pareça agradar à SGAL em particular nem tampouco aos condóminos de uma forma geral, uma vez que não só é ilegal como desvirtua as fachadas do edifício, elemento estético que, a par de outros, terá tido o seu peso na decisão das famílias de investir nos Jardins de S. Bartolomeu.

Assim sendo, gostaria que me esclarecessem sobre a possibilidade actual de implementação da infra-estrutura necessária à instalação de ar condicionado nas fracções, designadamente a instalação de todo o circuito de refrigeração.

Mais gostaria que me informassem sobre os moldes em que tal iniciativa poderia ocorrer, e muito concretamente, sobre a disponibilidade da SGAL para participar activamente neste processo.

Não sendo possível a implementação da referida infra-estrutura, gostaria que me informassem sobre que outras soluções poderiam ser tidas em conta para minorar o impacto referido, nomeadamente qual a viabilidade de alterar as fachadas por forma a possibilitar a colocação das unidades externas de refrigeração sem dano estético, e qual a disponibilidade da SGAL para colaborar nessa solução com os futuros moradores.

Certo que o presente pedido de esclarecimento será alvo da Vossa maior atenção, endereço os melhores cumprimentos,

Sérgio Sá


P.S. Recebi também uma fotografia de um nosso futuro vizinho, o João Baptista, de uma fracção do 9º andar, onde a superfície de vidro duplica, com a agravante de não existir a pala exterior para limitar a incidência directa do Sol.

13 comentários:

ana disse...

ficamos a espera da resposta

ana disse...

SSA
posso por este email no meu blog?
obrigada

Suasana disse...

Esta questao dos aparelhos de ar condicionado nos Jardins é de facto importante. Proponho que a soluçao seja encontrada com os arquitectos,SGAL e CML. Soluçoes ad hoc, ao desejo de cada um, é que nao. Viver em frente ao Parque Oeste é um privilegio. A soluçao tem que ser evoluida e equilibrada urbanisticamente, como a Alta. Beijos a todos desde Italia.

Pedro Veiga disse...

Também apoio o aparecimento de uma solução evoluída e equilibrada. Porque uma arquitectura deste calibre merece uma solução condigna! Ainda bem que o assunto está a ser discutido entre os futuros moradores!
Cumprimentos a todos.

ssá disse...

Ana,

Pode concerteza.

Anónimo disse...

Maravilhoso.

Anónimo disse...

Comovente.

Anónimo disse...

Belos acabamentos da bancada onde o miudo está sentado....

Anónimo disse...

Se fosse num projecto "estranjeiro" todos os apartamentos tinham ar condicionado central...

SSilva disse...

A carta está óptima! Concordo com a mobilização de todos para que a SGAL arrange uma solução!

Só uma curiosidade: as fotos aqui publicadas foram tiradas dentro das casas dos futuros moradores; a SGAL até agora nunca me deixou visitar a minha futura casa nos J.S. Bartolomeu, alegando que está numa zona de obra! Como é que conseguiram visitar as casas? Qual é a alma caridosa da SGAL que o permite?
Cpts. a todos.

Tiago disse...

Eu fui num Sábado, com a obra parada. Acho a minha vendedora uma pessoa fantástica pela disponibilidade e competências reveladas, mas não sei se a visita se deveu a essas qualidades ou à real possibilidade de visita quando a obra pára.

João Baptista - JB disse...

Pelo que me foi informado pela minha vendedora, o acesso às casas é possível aos sábados mas sempre com marcação prévia com o vendedor.
Começaram a permitir as visitas em meados de Julho.

Já agora, caros vizinhos, o miúdo da foto é o meu filho e chama-se Rafael. Não se esqueçam de quando forem fazer o auto de recepção de verificar por debaixo das bancadas a ver se os acabamentos ficam bem feitos ...

Alguém tem novidades quanto às datas previstas para vistorias, autos de recepção, escrituras, etc ? qq coisa ?

E resposta da SGAL sobre esta problemática do ar-condicionado ?

Cumps.

sandra disse...

o que me foi dito pela SGAl é que as escrituras previstas para jullho de 2006 previam-se antecipar-se cerca de 2 a 3 meses.