segunda-feira, 20 de outubro de 2008

As hortas de Sá Fernandes

O vereador Sá Fernandes, para alguns o grande paladino do povo, para outros o tipo que não queria o túnel do Marquês, avança com um plano ambicioso para novas zonas verdes, zonas pedonais, ciclovias e hortas urbanas.

De onde veio o dinheiro assim de repente?

Imagino que das taxas e impostos que alegremente pagamos. De qualquer modo, o vereador do Ambiente e Espaços Verdes diz que uma parte será recuperada com receitas provenientes de concessões.

Pessoalmente, deixo uma ideia. Não seria mal visto começar por recuperar o que já existe. Se os serviços da CML já mal conseguem dar conta dos espaços verdes, azuis e amarelos às risquinhas que existem como vão conseguir manter estes novas áreas?

Vão começar a trabalhar de modo eficiente e organizado?

Vão contratar mais pessoal e enquadrá-lo de modo capaz?

Espero sinceramente que sim.

4 comentários:

Carlos Moura Carvalho disse...

O plano parece ser bom.
E tem alguns aspectos seguramente muito positivos e necessários, nomadamente, no que respeita à criação de mais ciclovias.
Mas concordo que primeiro que tudo é importante manter em condições o quejá se tem. Parques urbanos (novamente, aqui na Alta de Lisboa, o Parque Oeste e o seu lago...), os equipamentos existentes (culturais, desportivos... passeios, espaço público, árvores.
Mas também infra-estruturas de subsolo (este fim de semana choveu alguns minutos e foi o caos como em todos os anos...).
O dinheiro é escasso.
Estas intervenções são necessárias.
É uma questão de prioridades.
Curiosamente há mais de 2 anos que existe na UPAL um projecto de implementação de ciclovias aqui na Alta de Lisboa. Está (praticamente..., há sempre um praticamente...) pronto. E esse projecto contempla o financiamento, como é evidente. Para além da SGAL, haveria outras empresas envolvidas.
Mas não foi prioridade...
Há palácios da CML com rendas insignificantes, que vendidos ou rentabilizados, dariam um importante encaixe financeiro.
Também não têm sido prioridade...
São constatações.
Com desalento, mas esperança.

Pedro Veiga disse...

Que venham mais espaços verdes! Lisboa precisa e por isso são muito bem vindos.
Segundo as palavras de José Sá Fernandes: «Para o ano será fácil ir a pé ou de bicicleta de Monsanto ao Palácio da Justiça, de Telheiras ao Campo Grande e à Avenida Gago Coutinho ou do Cais do Sodré a Belém. São coisas inacessíveis hoje». Isto é um bom sinal!
Todavia, falta começar a tirar o excesso de carros das zonas mais centrais de Lisboa. Sem bons transportes de superfície (não poluentes do ar) Lisboa jamais será uma cidade moderna e europeia. Para voltar a ter uma cidade para o peão ou para o ciclista tem que se pôr um travão a este crescimento exponencial da poluição e do trânsito automóvel!

Anónimo disse...

Outra medida que me parece razoável,seria limpar novamente a parte do lago já concluída ,do Parque Oeste, que está uma verdadeira lixeira, assim como as pequenas cascatas do Parque das Conchas.Junto do Restaurante ali em funcionamento,não é nada saudável ver os mosquitos e melgas que por ali existem!Ah!E a Fonte que só funcionou nos dias que se seguiram à inauguração, para a fotografia.

Anónimo disse...

Concordo com os projectos do vereador JSF, espero que estejam prontas antes das eleições.

Gostava, no entanto, de deixar à vossa consideração o teor de um e-mail que enviei no dia 3 de Outubro para o referido vereador, para o DAEV e para as J F's do Lumiar e da Charneca, ao qual nenhuma das entidades respondeu, não sei se por falta de tempo ou por achar que se tratava de uma brincadeira.

"Exmos. senhores responsáveis pelo Departamento de Ambiente e Espaços Verdes da nossa cidade de Lisboa.



Moro na zona em referência e tenho todo o gosto e interesse em que os espaços verdes estejam em condições, para usufruto de todos.

O parque é novo e ainda vão demorar uns cinco anos até as árvores terem uma altura razoável.

Acontece que, há cerca de dois anos, algumas foram vandalizadas (como me custa perceber isto!...) e quanto mais tempo demorar a sua
substituição mais a flora do parque vai ficar heterogénea e inestética. Para além disso, a colocação de árvores na Avenida Nuno Krus Abecassis, pese embora os canteiros estarem todos feitos, ficou incompleta.

Compreendo que a Câmara não tenha recursos para atender a todas as solicitações, mergulhada como está em problemas de toda a ordem, nomeadamente os financeiros, que não são os 1400€ que pago de IMI que vão resolver.

Compreenda também a Câmara o meu interesse neste assunto, uma vez que se trata do meu bairro. Para além do mais é um bairro que tem muitas pessoas com dificuldades, dificuldades essas que um ambiente mais bonito ajudaria a amenizar um pouco.



Assim sendo, venho por meio deste solicitar informação respeitante ao mapa de localização das espécies, época de plantio, possíveis fornecedores, etc., bem como autorização para o fazer, quer no Parque quer na Av N. K. Abecassis.


Permito-me também chamar a atenção para a derrocada que aconteceu junto da rotunda, aquando das cheias do ano passado, que não foi ainda reparada e para a qual não tenho, manifestamente, fundos.


Antecipadamente grato pela atenção que queiram dispensar a este assunto,

aceitem os meus melhores cumprimentos,

"