sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Silly Season

O DN escreve isto aqui:

"A 17ª esquadra da PSP, situada na Avenida João Crisóstomo, na zona do Campo Pequeno, em Lisboa, terminou ontem as suas funções naquele local. (...) O efectivo de 42 elementos que ali exerce funções vai ser dividido e passa a trabalhar na 21ª esquadra de Campolide e na 31ª esquadra do Rego, soube o DN junto de fonte policial.
Posteriormente, quando estiverem concluídas as novas instalações na Alta de Lisboa - junto à Divisão de Trânsito, que foi inaugurada pelo ministro da Administração Interna, no dia 22 de Julho -, a maioria do efectivo passará para lá, referiu a mesma fonte, afirmando desconhecer a data em que isso irá suceder."


Quando estiverem prontas? Então elas não estiveram prontas uma série de meses à espera que a PSP decidisse o que fazer com elas?

Ou será que eram apenas as instalações arquitectónicas (espaços, áreas, infraestruturas) que estavam prontas e o que falta é o mobiliário, as cadeiras, os armários, os cadeados da armaria? Mas, segundo o jornal, já há uns meses que a PSP tinha sido avisada da cessação do contrato de aluguer... já sabia que ia "sobrar" uma esquadra... não houve tempo para tratar do assunto, tanto que foi já há uns anos que foram igualmente informados - e consultados - que novas instalações iriam ser construídas na Alta? Não se trocaram cartas em Janeiro entre o Director-Geral e o Presidente da Câmara?

Entretanto lá continua a velhinha esquadra da Musgueira a tentar apagar todos os fogos com o seu carrito diariamente levado à oficina e as motitas defuntas por falta de peças paradas à porta.

É mesmo aquela altura do ano.

17 comentários:

Anónimo disse...

Recordo ainda a notícia publicada há ums semanas atrás no qual o responsável do Comando Metropolitano de Lisboa referia que ia dar instrucções para incrementar o número de máquinas de fornecimento de sandes para colmatar a inexistência de um refeitório na esquada da Alta de Lisboa. Então a esquadra mais moderna do país não dispõe de cantina ??? não acredito !!!! obrigou os funcionários a acordar com os cafés na zona a realizarem acordos mensais (q certamente ficam mais dispendiosos). É esta a consideração q o corpo policial tem por parte dos seus dirigentes ?

Atenção ó malta socióloga !! andam distraídos ou quê ??? então ainda não criticaram as forças policiais por terem abatido ontem os brasucas ??? devem escrever um post a criticar e a referir que foi utilizado uso da força de um forma perfeitamente despropositada e blá blá .... q a culpa é sociedade (q deixa esses pobres coitados imigrar para Portugal qd o país passa por uma profunda recessão) e q eles só cometeram aquela loucura pq não tinham dinheiro para comer uma sopa .... blá blá blá .... força nisso para dar ânimo à silly season ....

Paulo disse...

Dispensava-se o comentário de mau gosto que consta do segundo parágrafo...

Stran disse...

Boa Tarde,

Acabei de criar um novo o site, o "escritores de blogues" (para visualizar o site basta clickar no meu nome). Este site é uma rede social destinada a todos os escritores de blogues que o fazem em português. O objectivo é criar um espaço comum a todos para que seja facilitado o contacto e a visibilidade de novos projectos independentemente da ferramenta (blogspot, sapo, wordpress) que utilizam.

Neste sentido gostava de o convidar, e a todos os escritores de blogues que estiverem interessados. Para tal basta seguir o link e carregar onde diz "Join this network".

Muito obrigado pela atenção,

Melhores Cumprimentos,

Stran

Anónimo disse...

Caro Paulo,

Não é de mau gosto, é a constatação da realidade !!! é por causa destes sociólogos "de meia tijela" (que encontram justificações para tudo), e que passam "paninhos quentes" para justificar todos os actos, seja em relação à violência e à falta de respeito existente nas escolas,seja em relação à malta q vive agarrada ao RSI e que pura e simplesmente não quer fazer nenhum (leia os recados por exemplo do MST no Expresso de Sábado passado), seja em relação à delinquência e aos drogados !!! essa gente tem sempre na ponta da língua uma forma de desculpabilizar os criminosos !!!!

Vou-lhe contar uma história engraçada: Há uns anos - no início dos canais privados em Portugal - existia um programa de grande audiência cujo o tema era o crime e a delinquência. Do painel constava um advogado (por sinal hoje muito famoso), um criminalista (agora escreve livros e novelas) e um sociólogo. Ora o papel deste último no programa era de constantemente encontrar justificações para os actos criminosos e de desculpabilizar osactos praticados. Acontece porém q certa vez esse senhor foi assaltado à hora do almoço numa caixa MB(sob a ameaça de uma seringa, supostamente contaminada) assisti a uma cena fora do comum, 2 indivíduos q passavam na rua ouviram gritar "agarra q é ladrão" e ao aperceberem-se q o criminoso subia a correr a Av. Almirante Reis, passaram-lhe uma rasteira. O criminoso ficou estendido no chão e imediatamente foi imobilizado com um pé sobre o seu pescoço e um braço torcido atrás das costas. Como o rapaz se tinha portado mal, um dos indivíduos decidiu apertar-lhe o bracito com um pouco de força e até lho partiu (para ele não voltar a fazer o mesmo, coitado gritava tanto q até o sociólogo deve ter ficado com pena ...) e qto ao sociólogo, aconselharam-no a deixar de fazer comentários idiotas face as situações atrás referidas.

Mr. Steed disse...

São maneiras diferentes de ver as coisas.

Há quem prefira ver a coisas pelo ângulo: isto resolve-se é à porrada e a partir bracinhos.

Há quem ache que a violência só deve ser utilizada em último recurso. Tal como a polícia ontem fez.

Sinceramente não sei que mal lhe fizeram os sociólogos,imagino que seja trauma de infância, que lhe tenha caído um em cima quando era pequeno :)

Ou por sociólogos devemos entender qualquer pessoa que faça parte daquela escumalha que só lê é livros e não gosta "da porrada"?

Anónimo disse...

A PSP tem carros velhos?
Então eu pensava que os carros que vejo entrar e sair daquele bairro de habitação social, com motores potentes, que devem ter o mais fraquito mais de 250 cv e o mitsubissssshi evo VIII com nitro e compressor na cx. velocidades, dizia eu , pensava eu que eram viaturas da PSP descaracterizadas pelas velocidades estonteantes que mesmo ali dão.
E eu que pensava que lá iam os nossos agentes da PSP em mais uma missão contra o crime.
Tenho de estar mais atento.
E pelos vistos a PSP também.
Que balde de água fria.

Anónimo disse...

Mr Steed,

Não são só os sociólogos, se ler hoje a nota editorial do Expresso (Pág.7), perceberá logo do que falo.... Exigem um inquérito à actuação da PSP pq morreu um coitadinho ???? então o criminoso alerta o primo q vai-se matar e leva toda a gente com ele e ainda vêem recriminar a PSP ????

Por outro lado se ler a crónica do fiscalista Saldanha Sanches (pág. 22 do caderno de economia), perceberá a revolta que existe neste momento numa grande parte da sociedade portuguesa. Por um lado a tolerância do Estado face à criminalidade e por outro a existência de uma elevada % da população portuguesa q não tem deveres e só tem direitos, enquanto os restantes trabalham e descontam para alimentar essa "cambada", tudo isto com a cumplicidade do Estado.

Não é contra os sociólogos que me insurjo, é contra as mentes mesquinhas q conseguem desculpabilizar tudo e todos.... e aí caríssimo, não tenhamos ilusões os que se auto intitulam intelectuais (trotskistas ou não)são sempre os mais tolerantes ....
Mas desde já lhe chamo à atenção, num Estado de Direto deve-se recorrer à força sempre q necessário, ora como neste momento Portugal já há muito tempo q deixou de ser um verdadeiro estado de direito, e como tal por vezes são os próprios cidadãos q têm q recorrer à força para fazer valer os seus direitos...

A título de mais um exemplo apresento-lhe uma situação ocorrida comigo há cerca de 14 anos atrás. Ao recusar uma moeda a um "agarradão" - vulgo toxidepentente para tais "intelectuais", fui insultado e ameaçado de que o meu carro seria "feito em pedaços". Dirigi-me a um agente da PSP, que imediatamente chamou um carro patrulha a fim de deter o indivíduo. Ao chegar à esquadra o graduado veio falar comigo para me informar q não podiam fazer nada e q não valia a pena apresentar queixa. O máximo q podia fazer era detê-lo por umas horas para efeitos de identificação. Depois, chamou-me à parte e disse-me baixinho : "... o q o senhor tem a fazer nestas ocasiões é levá-los para um sítio escuro e dar-lhes uma carga de porrada até cairem inanimados e se morrerem melhor.... é um favor q nos faz já q estamos de mãos atadas..."

Por último e como já me alonguei de mais na conversa, só queria deixar aqui uma nota para os q apelidam o realizador de "Tropa de Elite" de ser fascista por apresentar uma visão mais conservadora da realidade. Caso possam assistam amanhã no CCB ao documentário "ónibus 174" (entrada livre), no qual o mesmo realizador tem uma abordagem bem diferente para um caso de sequestro. Aliás bem à maneira dos nossos "intelectuais" do tipo: " .. o cara só fez aquilo pq era moleque de rua e a sociedade fechou-lhe as portas e blá ablá...." e apresenta tb o BOPE como uma tropa amadora e cuja a abordagem culminou num insucesso tremendo da operação. Se calhar for por isso q fez o Tropa de Elite, para se redimir :)))

bom fds

Mr. Steed disse...

olha, gostei da resposta :)

não concordo com tudo o que lá está escrito mas gostei :)

eu já vi o documentário que refere. deu há uns tempos num canal por cabo. é impressionante. não vi o Tropa de Elite mas sei do que fala :) para chamar fascista a alguém é preciso muito mais.

não partilho ideias que pretendam desculpar a criminalidade e não alinho pelas opiniões de muitas cabeças pensantes nacionais. mas não me peçam para alinhar pelas parvoeiras da generalização e da defesa de uma política de "porrada neles".

a minha opinião mantém-se. a violência só gera mais violência e entregar a justiça nas mãos dos cidadãos é perigoso. a solução passa por muitas coisas. já se falou delas neste blogue.

algumas estarão relacionadas com o sistema penal e com as forças da ordem. mas outras, as mais importantes, as que demoram mais tempo a fazer efeito envolvem os tais sociólogos e as tais ideias de integração que não são más. estão é a ser mal aplicadas pq dão muito trabalho e custam dinheiro.

PINTO disse...

Boas tardes...Ora o tema que se trata aqui não é o da Esquadra de Trânsito que está implementada na Alta de Lisboa?...Sim, de Trânsito e assim irá ficar por muito tempo, não é por terem fechado a 19.ª Esq., que o efectivo virá para a nossa zona. Digo-o de fonte segura de conhecidos meus e não são Agentes (não desprezando esta classe de profissionais que dão a cara pela nossa segurança), mas de ditos Oficiais de Policia. Os Agentes que vimos por ai a mais se é que vimos vêem directamente da Esquadra de Telheiras reforçar a nossa zona ou seja 3 ou 4 a mais.
Até a carreira de tiro subterrânea construída naquelas instalações foi desmantelada para fazer escritórios e arrecadação de papelada...O que era para ser a Super Esquadra da Alta esta transformada no departamento de Trânsito...Enfim POLITIQUICES...

PINTO disse...

Errata:
Em vez de 19.ª deve ler-se 17.ª Esq.

Anónimo disse...

Mas afinal a PSP da Alta de Lisboa só tem um carro velhinho e avariado e motas estouradas paradas à porta da velha esquadra?

Ou tem aqueles carros potentes que saem daquele Bairro Social ali ao lado da esquadra e que aceleram nas ruas da Alta de Lisboa à noite e que uma pessoa até fica a pensar serem viaturas descaracterizadas?

Parece que afinal essas viaturas não são de combate ao crime.

É que se aquelas viaturas não são de combate ao crime são certamente viaturas conduzidas por criminosos e a PSP não os controla.

E isto é muito grave.

Quem não os ouve à noite?

Então mas as pessoas que ali moram tem direito a habitação social e os filhos utilizam grandes carros?
Então os filhos têm posses e poderão sustentar os Pais e dar as casas a outros que realmente necessitem.
Este é o procedimento para se atribuirem pensões de alimentos a pessoas que viveram em união de facto e se o estado percebe que as pessoas tem filhos em condição de lhes dar alimentos, o estado não os dá.

Neste caso, "estes Filhos" não tem obrigações similares?
Gostava de saber o que é exigido a "estes Filhos".

Se calhar nada não é?

Com o silêncio legitimamos um País desigual, onde a desigualdade pode ser a mão dada ao crime.
Denunciem estes casos.
Não é com pretensas teses de sociologia bacoca e pacóvia que se podem tapar estas perfeitas vergonhas.

Anónimo disse...

Até q enfim q aparece alguém a defender as minhas convicções !!!!
Os velhotes reformados para terem acesso ao CSI (Complemento Social para Idosos) têm que provar através das declarações de rendimentos dos descendentes q estes não possuem capacidade financeira para os ajudar mas os "mitras" q vivem à conta do RSI, com casas com rendas simbólicas (q mesmo assim se recusam a pagar) podem encher-se e viver à nossa conta q ninguém fiscaliza os plasmas, viaturas de alta cilindrada e todos os outros sinais exteriores de riqueza !!!!É isto Justiça Social ??

PS. tal como antecipava aqui num post anterior, o sequestro ainda vai fazer correr rios de tinta ! A Comunicação Social tanto fez q os advogados do sequestrador sobrevivente já ponderam processar a PSP, solicitar a extradição para o Brasil - pq assim só apanha com 1/3 da pena (3 anos)- . Inacreditavelmente o MAI embarcou nesta "fantochada" ao transmitir um comunicado em q dá importância a estas questões e nega a abertura de um processo de averiguações aos elenmentos que dispararam sobre os sequestradores.
Para terminar em jeito de comédia, um grupo de psicólogos (devem ser das centenas q se encontram desempregados) vêm afirmar nos jornais q os elementos dos GOE q disparam necessitam de acompanhamento psicológico para ultrapassarem o trauma de terem liquidado uns criminosos !!! Realmente só neste país !!! Uns homens q são diariamente treinados em clima de guerra, com treinos psicológicos e físicos levados aos limites precisam de apoio psicológico por causa de terem disparado uns tiros (idênticos aos q treinam diariamente com alvos)só pq se tratavam de uns criminosos ??? deixem-me rir .. Em Espanha,França, Reino Unido ou EUA em metade do tempo já estava o trabalho feito e ninguém mais voltava a falar no assunto !!! Aqui as SIC's TVI's e afins vão entrevistar os amigos e familiares a dizerem q era um ótimo rapaz, q não fazia mal a uma mosca e blá blá !!!! Merda de país !!!! Pq é q os espanhoís não tomam conta desta merda ???

Mr. Steed disse...

Sim senhor. E que propõem que se faça? Além das manifestações histéricas e apelos à invasão castelhana têm alguma ideia positiva ou preferem ficar-se pelo insulto e pelo lugar comum?

Fiquem sabendo que, nos Estados Unidos, qualquer agente envolvido em situações envolvendo armas de fogo está abrangido por programas de apoio psicológico e existem directrizes específicas para lidar com esses casos.

Tem aqui um documento da IACP, elaborado por psicólogos (gente bacoca e pacóvia) que descreve os passos a tomar.

http://www.theiacp.org/div_sec_com/sections/OfficerInvolvedShooting.pdf

Todas as acções envolvendo agentes da ordem onde se registem disparos são investigadas.

Peço-vos duas coisas:

1. Que moderem o tom dos vossos comentários.

2. Procurem alguma informação que confirme os vossos pontos de vista. Esta ideia de que no estrangeiro, esse paraíso, a polícia dispara como quer e quando quer é um exemplo perfeito do que não devem fazer.

Os comentários neste blogue são moderados. Isso, em termos muito simples quer dizer que eliminaremos os comentários que considerarmos ofensivos ou despropositados.

Obrigado

Anónimo disse...

Pelo GOE falo, apoio psicologico não recisamos certamente... É para isto que treinamos todos os dias...
Quanto ao que acontece aos criminoso tentamos fazer o melhor as aplicações das penas já não nos diz respeito, mas sim ao Srs. Juízes.

Anónimo disse...

Com certeza que é necessário acompanhamento psicológico do agente que efectua o disparo.
Não quer isto dizer que o Profissional seja assaltado por pesadelos, começe a falar sózinho, peça para entrar num convento ou até se ofereça para substituir o PM na sua vida difícil.
A questão é que há sempre uma incógnita nisto e há que explicar:
-Todos dizemos numa fase complicada da vida que "eu matava" este e aquele por isto ou por aquilo,mas, a grande verdade é que dizer "que matamos" está ao alcançe da boca de todos e é extremamente fácil dizê-lo, outra coisa é fazê-lo - Só alguns o conseguem fazer.
Matar não é para todos.
Por este motivo o profissional que efectuou o disparo letal está num patamar muito acima de todos os outros que tem a sorte de não ter sido forçados a fazê-lo.
Por este motivo terá certamente muito trabalho a ser efectuado junto dele.
Até........porque já se sabe que se pode contar com ele para outras situações muito dificeis.
Esta é uma análise básica, sem pretensões e que penso ser adequada ao exercício desta actividade.
Por outro lado, fosse Português, Brasileiro, Chinês ou de qualquer outra raça, o assaltante do banco SEB, a partir do momento que escolheu reféns humanos, traçou o seu destino.
A sua neutralização era a única via.
Agiu muito bem a PSP/GOE.
Xenófobos e racistas são todos aqueles que vem agora dizer que se os assaltantes fossem Portugueses a resolução do problema teria sido diferente.
A Justiça sem força é fraca.
A força sem justiça é tirania.

Anónimo disse...

Como pelos vistos veio aqui realçar um elemento dos GOE, o apoio psicológico só se aplicará possivelmente em outro tipo de casos ou de agentes q não estes (q são autênticas "máquinas de guerra") que são treinados acima dos limites de um "normal" ser humano. Por esse facto um disparo desta natureza não vai retirar capacidade ou provocar insónias a um tipo de agente desta natureza. Se me falar q o GNR que atirou acidentalmente sobre a criança, até compreendo, pois o tipo de treino q recebeu é totalmente diferente. Os GOE não fazem outra coisa ao longo da semana q não sejam exercícios físicos, técnicas de resgate, carreira de tiro, simulações de cenários, e testes à sua componente psicológica em cenários de operações...seria o mesmo q pegar numa brigada de elite do exército americano e cada vez q matassem um iraquiano os levassem para o sofá para falar com um desses senhores q procuram por todas a maneiras justificar um emprego e q a maioria nda população não necessita.

Infelizmente nos tempos modernos criou-se a necessidade dessas "modernices" , é o personal trainer no gym, o psicólogo vitalício, a massagista, "and so on"... mariquices de dondocas !!!! só uma pequena % das pessoas é q ao longo da vida, em momentos específicos, eventualmente necessitará de apoio psicológico e nunca com carácter permnente como essa classe pretende transmitir à opinião pública, para tentar garantir o "tacho" a milhares recém-licenciados q saem anualmente de esas universidades . Essa é q é a verdade q ttem q ser dita !!

Já agora e se me permitem, gostaria de referir q só num país como o nosso é q um grupo de assaltantes leva consigo uma criança para a prática de um crime, são detidos em flagrante, posteriormente libertados pelo juíz com uma acusação branda e o desgraçado do elemento da GNR é acusado de crimes mais graves, q podem inclusivamente determinar a sua prisão ou afastamento do corpo da GNR. Depois, bem, depois nem vale a pena falar, o coitadinho do cigano q saiu em liberdade (na sua carrinha mercedez classe C) de sorriso nos dentes e com a famíla cá fora a fazer o "chavascal" dos costume e a dizer q ele era um desgraçado, afinal estava fugido às autoridades à vários anos e fazia-se passar pelo irmão, com recurso a identidade falsa. Só neste país !!! Espanta-me q as associações sindicais da PSP e GNR não convoquem uma "greve" - esta sim legítima - para acabar com esta pouca vergonha de manietar as forças de segurança para o cumprimentos das funções que lhes estão atribuídas. Em Espanha isto dava origem a mega-manifestações de milhares nas pricipais ruas de todas as cidades do país !!!

Anónimo disse...

Quem dita as leis cada vez mais brandas, neste país, é também quem dá ordem de matar...Em que ficamos, senhores governantes? Defenderam no Parlamento o direito de associação sindical dos polícias e depois perseguem-nos se tentam reclamar ou manifestar-se...Em que ficamos senhores políticos de esquerda? Defenderam durante anos as nacionalizações e o Estado social e agora privatizaram a segurança, negam pensões aos trabalhadores idosos, despedidos e reformados, mas sustentam o jovem futuro deste país, realojado à custa dos impostos de uma classe média cansada de tanta incoerência entre discurso e acção (ou será ação)?