quarta-feira, 5 de março de 2008

Da Alta à Baixa

Uma cidade administrativa na Alta (...) devolve a Praça do Comércio à vida da cidade (esplanadas, restaurantes, lojas)”, escrevia-se, há uns dias, na caixa de comentários. Há muito que se defende por este escritório que os problemas da Alta são os problemas de Lisboa e, inversamente, tudo o que se passa no resto da cidade é importante para os que por aqui vivem e aqui trabalham porque, para além da solidariedade que nos merece, tem efeito directo sobre as nossas vidas, o nosso Alto.

Por isso e porque somos muito solidários com todos os movimentos de cidadania, publicitamos com muito gosto, a próxima iniciativa dos Cidadãos por Lisboa,


A ter lugar nas instalações do Ateneu Comercial de Lisboa Rua das Portas de Santo Antão, 110 Lisboa (ao Coliseu dos Recreios) na próxima 2ªfeira, 10 de Março às 21h00, com os seguintes participantes:
  • António Manuel, Presidente da Junta de Freguesia de S. Nicolau
  • Carlos Consiglieri, Presidente do Ateneu Comercial de Lisboa
  • Fernando Nunes da Silva, Professor Universitário, IST
  • Filipe Lopes, Presidente da OPRURB
  • Margarida Pereira, Ex-Directora da Unidade de Projecto da Baixa-Chiado
  • Maria José Nogueira Pinto, Ex-Vereadora CML
  • Paulo Pais, Director do DPU, CML
  • Vasco Mello, Presidente da UACS

Oradores diversificados a possibilitar uma visão abrangente do problema e das possíveis soluções, participantes com provas dadas na eficácia e profissionalismo com que geriram as suas funções. Vale a pena e nós vamos lá estar com toda a certeza.

Assim outros partidos com maiores responsabilidades, mais votos e mais recursos soubessem fazer o mesmo...


3 comentários:

Anónimo disse...

"O exercício da cidadania é mais que votar ou pagar impostos, é agir, é intervir, é ajudar, é reivindicar, é participar, é criar, é no fundo tomar consciência que há um mundo fora da nossa casa ou do nosso trabalho e que também necessita da nossa participação." É isso mesmo.
E a participação é sempre mais do que bem-vinda.
L.J

liminare disse...

Conheço muitos tipos de cidade: desportivas, universitárias, portuárias, aeroportuárias, dormitórios, judiciárias, grandes, pequenas,...etc.

No caso do Lumiar, por razões históricas, o conceito de cidade que continua a fazer sentido é o que poderá projectar o Lumiar para o século XXI: LUMIAR CIDADE JARDIM.

Anónimo disse...

O presidente da CML acabou de aceitar o convite para assistir - e participar, como toda a assistência - neste debate. Fazendo-se representar pelo vereador do Urbanismo, Manuel Salgado. Mais informação à mão, boa.