domingo, 15 de julho de 2007

Lx 2007

Resultados finais para a Câmara Municipal de Lisboa:

Inscritos: 524248
Votantes: 196041 - 37.39%
Em Branco - 4549 - 2.32%
Nulos - 3096 - 1.58%

PS - 57907 votos - 29.54% - 6 mandatos
Lisboa com Carmona - 32734 votos - 16.70% - 3 mandatos
PPD/PSD - 30855 votos - 15.74% - 3 mandatos
Cidadãos por Lisboa - 20006 votos - 10.21% - 2 mandatos
PCP-PEV - 18681 votos - 9.53% - 2 mandatos
B.E. - 13348 votos - 6.81% - 1 mandatos
CDS-PP - 7258 votos - 3.70% - 0 mandatos
PCTP/MRPP - 3122 votos - 1.59% - 0mandatos
P.N.R. - 1501 votos - 0.77% - 0 mandatos
PND - 1187 votos - 0.61% - 0 mandatos
MPT - 1052 votos - 0.54% - 0 mandatos
PPM - 745 votos - 0.38% - 0 mandatos

Na Freguesia do Lumiar:

Inscritos - 30990
Votantes - 12140 - 39.17%
Em Branco 362 - 2.98%
Nulos - 145 - 1.19%

PS 29.29%
Lisboa com Carmona 17.83%
PPD/PSD 14.86%
Cidadãos por Lisboa 12.74%
B.E. 7.92%
PCP-PEV 6.43%
CDS-PP 3.65%
PCTP/MRPP 1.05%
P.N.R. 0.66%
MPT 0.58%
PND 0.52%
PPM 0.30%

Aparentemente, a freguesia do Lumiar é mais desalinhada do que o resto da cidade: as candidaturas independentes e o Zé tiveram percentagens superiores às dos resultados gerais. Igualmente foi superior a percentagem de votos em branco. O discurso da (in)segurança (apesar dos relatos que pela nossa caixa de comentários vão aparecendo) não teve tanto sucesso como no resto da cidade: CDS e PNR baixaram em comparação com o resultado global.

Reacções da noite:

- José Sócrates agradece ao povo de Lisboa (29.54% dos 38% de eleitores que votaram) a estrondosa vitória do PS (6 mandatos em 17) que, pela primeira vez ganhou a presidência da Câmara concorrendo sózinho (fica a 3 vereadores de poder governar sózinho).

- O Zé esquece a sua própria descida e realça a estrondosa derrota de quem governou a Câmara - o ex-presidente, concorrendo numa lista independente, ficou em segundo, o PSD em terceiro, o Zé em sexto - e apresenta as suas condições para se coligar com o PS.

- Jerónimo de Sousa traduz os resultados como um voto de protesto em relação ao Governo mas prepara-se para a coligação.
- Roseta promete um dia por semana para receber toda a gente e ouvir as queixas. Espero que também tenha a capacidade de lhes responder.

- Ninguém (ou quase ninguém) se atreveu a usar a praia como desculpa para a alta abstenção mas muito poucos fizeram mea culpa por essa mesma abstenção.

5 comentários:

Carlos Ines disse...

Segundo percebi quase todos ganharam:
António Costa - Ganhou de facto
Carmona - Ficou à frente do Negrão
Fernando Negrão - Até se vai filiar no PSD
Roseta - A vitória dos cidadãos
Zé - Manteve o vereador
Ruben - Manteve os vereadores
Telmo - Unico que reconhece mau resultado
Garcia Pereira - votação histórica
Nazi do PRN - está em preparação para 2009
Quartim Graça - Apareceu na TV
Manuel Monteiro - A ND está viva
Fadista - viva o rei
Abstênção - Grande vencedora
Brancos - mais de 2% -> Vitória do blog

lorenzetti disse...

Continua o incompreensível direito de voto exclusivo em Lisboa dos residentes em Lisboa.

Sendo que residir em Lisboa é cada vez mais raro, como se sabe, relativamente ao número de pessoas que aí vivem todo o dia, porque aí trabalham, estudam, ou porque passam aí quase todo o seu tempo.

Todos aqueles que penam no IC19 ou na autoestrada Cascais-Lisboa ou na Ponte 25 de Abril, Vasco da Gama e afins passam o seu dia em Lisboa.

Muitas vezes mal conhecem o sítio onde vivem, desde os vizinhos a quem é o presidente da Câmara, para não falar no -- nunca soube quem é, nem de que partido é -- presidente da 'junta'.

No entanto, não votam em Lisboa.

A mesma Lisboa onde fazem tudo, onde gastam e ganham dinheiro, que conhecem melhor que o concelho onde vão dormir.

O que leva L. a pensar se os resultados eleitorais em Lisboa não serão injustos, errados e inúteis.

Pelo menos enquanto os universitários e restantes estudantes, e todos os que 'dormem' fora de Lisboa, que trabalham em Lisboa, aqueles cujo BI não diz Lisboa em 'residência', não votarem em Lisboa.

Porque vendo bem, são eles que vivem -- e que são -- a Capital.

Pedro disse...

É um bom argumento. A melhor maneira de o resolver seria - aproveitando para solucionar muitos dos problemas de Lisboa - trazer esses "habitantes diários" para morar em Lisboa. A Alta está cheia de apartamentos para serem ocupados!

Pedro Veiga disse...

O erro, o grande erro é pensar nesta divisão concelhia baseada nas cidades que existiam há 60 ou 70 anos atrás!
Lisboa deve ser planeada à escala da Grande Lisboa porque a cidade é usada por quem habita e/ou nela trabalha.
O concelho é demasiado pequeno à escala da região. Em breve o número de habitantes de Lisboa será inferior ao número dos que habitam o concelho de Sintra.
Basta pensar que o IC 19 ligado à 2ª circular que por sua vez está ligada com a A1 representa uma grande avenida que atravessa a região urbana desde Vila Franca de Xira até Sintra!

Anónimo disse...

Regiões...se calhar é o que está a faltar.