terça-feira, 2 de janeiro de 2007

Resolução de Ano Novo



Há coisa de uns anos tomei como resolução de ano novo a espartana decisão de tomar duche de água fria todos os dias de manhã. Tinha lido algures, ou me disseram, não me lembro já, que fazia bem aos músculos, à pele, ao sistema imunitário, que fortalecia o carácter. Parecia-me e ainda me parece lógico. A sociedade ocidental moderna tem luxos que nos fazem perder a ligação com a natureza, o acesso às memórias colectivas ancestrais, tem demasiadas tentações supérfluas que nos roubam a lucidez. Tomar duche de água fria em pleno Janeiro pareceu-me uma ideia genial para começar cada dia com uma sintonização cósmica. Durou quinze manhãs, essa resolução obstinada. Apanhei uma gripe tão grande que me roubou saúde, empalideceu a pele, tornou os músculos flácidos e afogou o carácter num caldo de muco infecto.

Existe uma mania qualquer de fazer resoluções na passagem de uma data importante, não sei porquê. Provavelmente por não se estar plenamente convicto ou confiante no sucesso dessa mudança e um click cronológico aparentemente ajudar. A maior parte delas acaba aos poucos por falhar, parece-me. O Homem é um bicho de rotinas, com uma inércia difícil de contrariar. Diz-se que 21 dias consecutivos são o período necessário para uma nova prática se tornar um hábito. Tenciono mudar algumas coisas na minha vida. Algumas já mudei, porque não tive paciência para esperar por ontem, mas outras ainda faltam, porque não são realmente fáceis de seguir.

E desse lado, nas vossas vidas, alguma coisa irá mudar este ano? E voltando ao leitmotiv deste blog, que gostariam para a Alta de Lisboa em 2007?

11 comentários:

Pedro disse...

Obviamente, o cumprimento dos prazos mais recentes prometidos pela CML e SGAL.
Menos obviamente (porque vocês têem a mania que eu anseio pelo dia em que um Marquês venha traçar uma nova cidade sobre as ruínas da antiga - o que, para os mais distraídos e antes que venham pr'aqui de cassetete em riste, digo já que é mentira), o sucesso do projecto de acordo com as premissas, propostas e anseios de todos os envolvidos.
Já agora: a minha definição de sucesso para a Alta é a plena integração de todas as comunidades que nela vivem numa paz aceite e não podre; a interligação com o resto da cidade que ela integra, de uma forma que permita fluxos de circulação sem entraves ou obstruções; a criação de polos terciários que permitam o reequilíbrio e a diminuição das transferências matutinas e vespertinas garantindo, em simultâneo maior proximidade do lugar de trabalho para muitos (e a consequente diminuição da produção de emissões poluentes) para além da libertação de tempo para actividades de ócio e lazer; finalmente, a instalação de mais equipamento cultural que permita maior movimento nocturno e um cosmopolitismo que derrote a solidão nocturna de ruas e passeios e permita, pela presença de pessoas, erradicar a apetência que parece existir em alguma minoria para a prática de actividades menos consentâneas com o sucesso e a segurança de todos.
Será que, desta vez (vá lá, é ano novo!) consegui ser politicamente correcto (ao mesmo tempo que sincero) para todos?

Anónimo disse...

O que espero da Alta:
- a comercialização da malha 7(?) em Fevereiro;
- uma ligação directa entre o novo acesso da Santos e Castro e o desvio para a alameda das Linhas de Torres... (grande volta que temos de dar, ou há percurso tipo corta-mato, ou devia mudar de lentes porque não vi sinalização nenhuma?);
- a regularização dos acessos.

Tiago disse...

Sushi, Bom Ano para ti! Só uns apontamentos:

- Malha 6
- Esse desvio da Santos e Castro para a Al. Linha de Torres era um dos factores que causava maiores problemas de fluxo. O bypass vei resolver precisamente isso.

Pedro, é bom ler-te assim, politicamente correcto e sincero, de vez em quando. Quando abdicas do humor cáustico e procuras sintetizar a tua forma de pensar na cidade todos ganham com isso. Subscrevo os teus votos para a Alta. Não quero com isto dizer que devas abandonar por completo a tua veia, mas talvez seja isto um pronúncio de um blogger renovado para 2007! Bom Ano também para ti!

Pedro disse...

Com que então o politicamente correcto é que é bom de ler... Andas mesmo socrático, Tiago. Até tu, Brutus meu filho... :-)

Tiago disse...

Foi impressão minha ou escrevi "de vez em quando", para além de "sincero"?

Rodrigo Bastos disse...

- Que a SGAL e a CML cumpram de uma vez por todas com os objectivos traçados e que trabalhem em equipa;
- Que o projecto "Alta de Lisboa" ganhe pujança e dinamismo;
- Que seja disponibilizada mais e melhor informação sobre o desenrolar da execução do PUAL;
- Que se termine (e se operacionalize) todos os projectos previstos para este ano;
- Que haja mais e melhor limpeza de rua, manutenção dos pequenos espaços verdes e equipamentos públicos;
- Que o projecto "Alta de Lisboa" se oriente mais para a sua população residente;
- Que o projecto ARAL cresça, "engorde" e consiga ser uma mais valia para os moradores do Alto do Lumiar.


Um Bom Ano de 2007 para todos e como não poderia deixar de ser também para o projecto "Alta de Lisboa"

Pedro Veiga disse...

Desejo geral: que a nova cidade ganhe corpo e alma.
Gostava que fosse possível consolidar as malhas já edificadas para acabar de vez com a "sensação de ilhas habitacionais" (a malha 6 irá ter uma função importante neste aspecto).
Gostava que fosse possível melhorar de vez a qualidade das vias interiores da zona de intervenção pelo que é fundamental a construção do eixo central. Aqui não estou a falar só de asfalto, mas também (e sobretudo) de passeios pedonais e das famosas vias cicláveis tão badaladas.
Melhorar a frequência e a circulação dos transportes públicos criando vias exclusivas para estes veículos.
Que o Parque Oeste seja finalmente concluído fazendo a sua ligação com a Ameixoeira e largo da estação de metro. Este é um ponto fundamental que poderia melhorar muito a qualidade de vida a muita gente que habita nas freguesias vizinhas. Para isso seria necessário criar alternativas ao absurdo trajecto que liga a Alta à Ameixoeira, através das azinhagas de S. Bartolomeu e da Cidade.
Será isto impossível de realizar?

Anónimo disse...

Gostaria que alguém na SGAL ou na GEBALIS visse o acampamento de ciganos em que algumas das ruas da tão famosa Alta de Lisboa se estão a transformar.
Tive conhecimento que a última moda é junto aos Condomínios da Torre, onde até já há cordas presas a árvores e a sinais de trânsito para estender a roupa (isto é verdade e é diário).
Tomem o pulso a isto rapidamente pois quanto mais se arrastar o problema pior para todos.

PS: É uma foto que deve ficar bem nos cartazes publicitários da SGAL.

João Correia

Carlos disse...

Os meus desejos para a Alta de Lisboa vão em primeiro lugar para que se consiga humanizar e integrar plenamente todos os residentes nesta zona. Pode ser um desejo utópico, pode ser um sonho humanista, mas a altura também impõe estes votos. E para que se consiga atingir essa plena integração, os novos residentes têm um papel decisivo, cabendo-lhes a eles aceitar, partilhar, procurar, conviver com aqueles que há muitos anos aqui vivem e possuem já laços de proximidade e de grupo enraizados. A procura do comércio de proximidade que já existe, a resistência à tentação do isolamento, do condomínio fechado. A contratação de pessoas que aqui vivem para trabalhos e tarefas diversas. A fruição dos parques urbanos e das zonas de lazer, nomeadamente, as desportivas são essenciais.
Em segundo lugar, desejo que o Projecto possa prosseguir o seu ritmo normal, concretizando sem mais atrasos, projectos essenciais: Eixo Central, Nó de Calvanas, Av. Santos e Castro, o resto do Parque Oeste, Parque Urbano Sul, Centro de Saúde, Centro Cultural do Arq. Siza Vieira, Eixo Pedonal, ciclovias e outros pólos culturais.
Determinante será também a concretização da Malha 5, sobretudo o desenvolvimento, dos lotes de comércio e serviços, bem como do Centro de Distribuição de Mercadorias que trarão mais vida, criarão mais emprego e em consequência diminuirão os fluxos viários e a poluição. São projectos “âncora” para a Alta que trarão, além do mais, visibilidade.
Por fim, que o blog possa contribuir, como tem feito, para o debate, para a troca de ideias, para a critica construtiva, conhecedora e fundamentada. Será certamente um estímulo para todos os intervenientes e residentes na Alta de Lisboa.

Rodrigo Bastos disse...

Salvo seja caro Carlos. Os novos residentes são uma parte integrante deste processo tal como os antigos o são. Decisivo mesmo é o papel da SGAL como dinamizadora e executora do PUAL e a UPAL\CML como fiscalizadora e entidade pública responsável pela operacionalidade deste projecto. Não esqueço também o papel importante que desempenham todas as fundações, instituições e forças políticas que aqui trabalham e que teem também responsabilidades e objectivos a cumprir.

Anónimo disse...

O meu desejo para 2007 é que os habitantes da Alta de Lisboa e muitos dos bloggers "arregacem" as mangas e não passem apenas o tempo a queixar-se e a apontar o que está mal... Há muita coisa boa e há muito ainda para melhorar. Mas o que é preciso é inundar a SGAL/UPAL/CML de faxes/e-mails e telefonemas para que percebam que vamos exigir aquilo a que temos direito! E é também preciso perceber que muito depende de nós! Se as árvores estão caidas é preciso levantá-las sem estar à espera que venha alguém fazer isso. Se há lixo à nossa porta apanhá-lo e alertar quem de direito para a situação.