sábado, 7 de março de 2009

Impostos - recebemos na Alta o que pagamos?

É IMI, IVA, IRS, IMT, TCE. Tudo pagamos e se não for a tempo e horas acrescem juros. Recebemos do Governo e da CML o que pagamos em impostos? Vivemos num bairro dotado de todas as infraestruturas e equipamentos necessários? Centros de saúde, Jardins de infância, creches, Centros Culturais? Acessibilidades? E quando se atrasa quem tem responsabilidades na gestão e aprovação dos loteamentos ou no desenvolvimento deste projecto, somos de alguma forma compensados?

Música de Sábado. Djavan, Imposto, do album Matizes.




IPVA, IPTU
CPMF forever
É tanto imposto
Que eu já nem sei!...
ISS, ICMS
PIS e COFINS, pra nada...
Integração Social, aonde?
Só se for no carnaval
Eles nem tchum
Mas tu paga tudo
São eles os senhores da vez
Tu é comum, eles têm fundo
Pra acumular, com o respaldo da lei
Essa gente não quer nada
É praga sem precedente
Gente que só sabe fazer
Por si, por si
Tudo até parece claro
À luz do dia
Mas claro que é escuso
Não pense que é só isso
Ainda tem a farra do I.R.
Dinheiro demais!
Imposto a mais, desvio a mais
E o benefício é um horror
Estradas, hospitais, escolas
Tsunami a céu aberto,
Não está certo.
Pra quem vai tanto dinheiro?
Vai pro homem que recolhe
O imposto
Pois o homem que recolhe
O imposto
É o impostor

2 comentários:

Anónimo disse...

POIS, dois pesos duas medidas?
reproduzo notícia tsf de 03Março:

«António Costa, que fez saber que prefere falar com a Governadora Civil em vez do Ministério da Administração Interna para resolver o problema do fecho da esquadras na capital, defendeu o policiamento de proximidade e criticou a forma como estão distribuídas as esquadras na capital.

O autarca disse não compreender, por exemplo, «porque é continua a haver» várias esquadras num pequeno universo, nomeadamente no Terreiro do Paço, Rossio, Restauradores, Praça da Alegria, Rua da Boavista, Bairro Alto e Rato.

António Costa, que já tutelou o Ministério da Administração Interna, continuou a defender que «as esquadras deviam ser substituídas por mais homens na rua».

Na visita às instalações que a autarquia pretende disponibilizar para a instalação de uma esquadra no bairro de Santos, António Costa mostrou-se disponível para negociar com a Governadora Civil de Lisboa no que diz respeito à cedência do espaço.

No entanto, assegurou que vai ser exigente nessa negociação, pedindo garantias da «utilização efectiva desse espaço com um esquadra da PSP», mas também garantias de que a polícia o vai usar «como uma esquadra a funcionar a sério e não a fingir que funciona».

Caso venham a albergar uma esquadra, as instalações dos bairro de Santos servirão cerca de 30 mil habitantes.

Confrontada pela TSF com os reparos do presidente da Câmara de Lisboa, a Direcção Nacional da PSP limitou-se a garantir que a segurança dos lisboetas não está em causa.

A TSF contactou ainda o Ministério da Administração Interna, mas até ao momento não foi possível obter qualquer comentário.»

Ora a Alta de Lx já tem 30 mil habs e preve-se ter 60 mil.
Por que não se vê a mesma preocupação com o OKUPAÇÃO não-selvagem, mas abusiva da esquadra feita para a PSP e votada à divisão de trânsito, que apenas salvaguarda a segurança da passadeira frente ao colégio, de resto só persegue os habs da Alta, nada contribui para a segurança de pessoas e bens - mas sim do erário público para o qual revertem as nossas multas (outro imposto que pagamos, ai de nós).

Carlos Moura Carvalho disse...

Óptima escolha musical. Parabéns.