sexta-feira, 31 de outubro de 2008

O Halloween na Alta




Hoje é a Noite das Bruxas. De origem Celta, o termo "Halloween" deriva do gaélico "Oíche Shamhna", "A Noite do Samhain".

Era um festival de Outono, a celebração do final do Verão. Numa cultura que vivia ao ritmo das estações e das colheitas esta era a altura em que os mortos regressavam para visitar os vivos e fogueiras acesas um pouco por toda a parte destinavam-se a manter os seres maléficos à distância.

A comercialização do Halloween começou nos Estados Unidos no princípio do século passado e espalhou-se um pouco por todo o mundo.

Em Portugal, a forte tradição católica impôs o Dia de todos os Santos ou dia de finados. Mas nos últimos dez anos a versão americanizada da Noite das Bruxas ganhou força e já é possível ver, em algumas partes de Lisboa, grupos de crianças a pedir "doçuras ou travessuras". Isto claro, para lá do divertimento dos mais velhos em festas temáticas um pouco por toda a parte.

É claro que as opiniões se dividem:

- Mais uma importação feita por motivos comerciais.
- Excesso de protagonismo da cultura anglo-saxónica.
- Um disparate sem qualquer mensagem positiva para as crianças.

ou um bom pretexto para nos divertirmos?

Deixo-vos um desafio. Contem-nos o que acham do Halloween e, sobretudo, contem-nos como passaram a Noite das Bruxas na Alta de Lisboa.

11 comentários:

Anónimo disse...

Eu acho que o Halloween é uma americanisse e mais uma forma que arranjaram para os pais gastarem dinheiro.

Mais valia valorizarem o pão-por-deus que até tem alguma tradição em Portugal

Anónimo disse...

Concordo com a opinião anterior.

JRui disse...

Concordo com ambas as opiniões anteriores e também com as contrárias.
Curiosamente o dia que antecedeu a noite das bruxas, foi para mim mais um dia de terror, devido ao trânsito caótico, descoordenado, não gerido pelas autoridades locais, começando pela fila causada pela passadeira frente ao Colégio de S.Tomás, onde, os papás ocupam e inviabilizam a faixa da direita no sentido de quem se dirige para o P.Doce, perante a total indiferença da autoridade que parece não ver.
Não vê o que dificulta todo o restante trânsito.
Depois foi a habitual fila na R. Agostinho Neto ( que durante cerca de 2 semanas uns agentes de trânsito fizeram no cruzamento com a Al.das Linhas de Torres um brilhante trabalho ajudando na orientação e regulação do trânsito.

Tudo isto para dizer que demorei 32minutos desde o colégio de S.Tomás até aos sinais da "Churrasqueira", saída para o Campo Grande.

Admirável não acham ?
Este é o meu relato de um dia embruxado, que nesta parte é, lamentávelmente, diáriamente, inalterávelmente, a mesma coisa de todos os dias, sem perspectivas de fim à vista.
Continuo pois, até mais ver, com o sorriso da abóbora.
Cumps

Ana B. disse...

Eu vejo o Halloween como um pretexto para os mais pequenos se divertirem. É uma festa como outra qualquer e não tem que ser necessariamente um motivo para os pais gastarem dinheiro. Aliás, até é bom e desejável que não gastem e que os miúdos se vejam obrigados a explorar a sua criatividade. Vejo como positivo o facto de ser também um pretexto para conhecer a vizinhança. "Doçuras ou travessuras" é uma boa abordagem para as crianças conhecerem os vizinhos do prédio que talvez não conheçam e uma oportunidade para os vizinhos se darem. Pedir doces ou um raminho de salsa... tanto faz... Os vizinhos conhecem-se também assim. As crianças ficam radiantes (o meu filho ficou), os adultos ficam enternecidos.

Na Alta, sei que se festejou o Halloween nas diversas escolas do Agrupamento do Alto do Lumiar durante a tarde. À noite, entre as 20h e as 22h, houve festa muito animada na Mediateca do Centro Social da Musgueira, com direito a Casa do Terror para os mais ousados, como já é habitual. Muita gente, muitos vizinhos e muito boa disposição. Foi o que eu vi.

Anónimo disse...

o que eu vi foi um "bando de malta" a tocar às campainhas a altas horas a pedir dinheiro para o dia das bruxas (ipsisverbeim)...!
hello???

mas o que é isto???
e o tostãozinho para o stº antónio???
lembram-se???

Luis disse...

abaixo as americanices

viva o santo antónio

a continuar assim ainda nos trocam o 10 de junho pelo 4 de julho

Anónimo disse...

ahahahahah
ihihihihihih
ainda nao deram por isso que o halloween e uma tradicao europeia. se bem me lembro os americanos nativos nao celebravam a noite das bruxas.
Tambem nao tive nenhum menino a bater-me a porta a pedir o pao por Deus.
Para o ano era giro organizar uma coisas dessas.

Anónimo disse...

concordo mais pelo stºantónio

Mr. Steed disse...

jrui: dia embruxado mesmo :) dá vontade de nos vestirmos todos de frankensteins e dráculas e irmos pedir "doçuras ou travessuras" ali à porta da esquadra. Se não derem fazemos rotundas e colocamos pinos de metal em frente ao colégio s.tomás para impedir que estacionem por lá :)))

bem observado o facto de o Halloween ser uma festa de origem europeia. Celta e pagã mas mesmo assim europeia. O formato que tem actualmente é que veio dos States.

Na realidade, seja o pão por deus, o tostãozinho para o Sto. António ou o trick 'r treats são ocasiões que, como diz a Ana, podem contribuir para estabelecer laços entre vizinhos, filhos de vizinhos e afins. Claro que toda a gente tem medo de deixar as crianças soltas por aí a meio da noite. Mas se for algo organizado, por exemplo, pelo condomínio ou por um grupo de residentes, ganha outra segurança e cria o mesmo efeito.

No parque das nações isto já funciona. Os pais e mães juntam-se, reúnem as crianças rotativamente na casa de uma delas, organizam uma pequena festa e daí partem para a volta. Já se cruzam grupos nas ruas e nas escadas e algumas pessoas já se preparam para o trick 'r treats.

Como em tudo, há quem ache piada. Há quem odeie.

Obrigado pelas vossas opiniões.

Anónimo disse...

estamos a falar da Alta de Lisboa e não do parque das nações... onde a população habitacional nada tem a ver com a da alta... Esta última tem mais "categoria"... é mais bairrista!!!
Abaixo as cenas vindas da "america" (americanices...)

Mr. Steed disse...

Também acho que população da Alta tem mais categoria :)

É um erro considerar que o Parque das Nações é um paraíso em oposição à Alta de Lisboa.

O Parque das Nações tem problemas de segurança muito piores que a Alta.

Um trânsito caótico, problemas de estacionamento indisciplinado. Enfim. Problemas que possivelmente viremos a ter quando o projecto estiver concluído.

Quanto às americanices...cuidado: a lâmpada eléctrica, o avião e os elevadores! Americanices. O Pai Natal? Americanice! :)