segunda-feira, 19 de maio de 2008

David e Golias

É louvável e raro ver um blog com ligações partidárias conseguir fazer uma crítica que atinge também os seus pares. Foi o que fez o PS Lumiar, coligindo todos os destinatários das suas reclamações desde há um ano para cá e contabilizando as respostas obtidas. De uma lista com mais de trinta entidades e cargos políticos, apenas seis responderam aos emails com perguntas, protestos ou sugestões.

Um cidadão isolado perante esta barreira muda e arrogante deixa cair muito facilmente os braços, desistindo de exigir, pelas vias e mecânica institucional que a sociedade lhe impôs, uma rua, bairro ou cidade mais saudável e aprazível para viver e criar os seus filhos. É por isso que os mais lúcidos, mas que se sentem fracos perante este muro gigante, se unam para multiplicar as suas forças.

Encontrar causas comuns e juntar quem as defenda é a solução face ao actual sequestro de acção que a CML nos remeteu. O Todos pela Alta pretende ser uma dessas soluções. A primeira reunião correu muito bem, mas para que as coisas sejam bem feitinhas é preciso algum trabalho antes de apresentarmos a todos uma proposta de plano de acção. Fomos onze pessoas, na reunião de Sábado. Um pouco menos do que as 32.000 que alegadamente vivem na Alta de Lisboa, mas todos com vontade de crescer e chegar a mais gente. Todos sem vontade de desistir. Porque desistir ou esperar que seja o vizinho a resolver-nos o problema não tem piada nenhuma e é coisa de banana.

Para terminar, para fazer o contraponto dos blogs políticos do Lumiar, e ainda neste tema, o CDU Lumiar refere que os portugueses passam os primeiros 139 dias de trabalho do ano só a pagar os impostos. Este esforço compensa o serviço prestado?

3 comentários:

Luís Lucena disse...

(refiro-me ao comentário do Raimul, PS Lumiar)
É de facto muita casca-grossa. A tal luta de classe.

Infelizmente tropeçamos permanentemente nesta falta de educação básica. E já todos passámos por isso.

Talvez seja mesmo o maior problema do nosso País.

Nem sequer um postalinho. Nada. Como se nem sequer tivessem nada a ver com os assuntos que lhes dizem especialmente respeito.

Aquela passividade; a postura de “assobiar para o lado” (esquerdo ou direito, não interessa) de “mãos nos bolsos” ... é arrepiante!

A habitual inocência da omissão.

Até se pode perceber que nada sabem (andam perdidos), mas nada responderem, institucionalmente, pessoalmente, seja o que for ...

(com suspiro)Ahh! Não têm a culpa, coitados....

Luís Lucena disse...

(refiro-me agora ao desafio Todos pela Alta)

Ainda bem que nem todos são inocentemente omissos e ainda há quem acredite em mudar o que não está bem e com disposição para contribuir. Vamos a isso!

Todos pela Alta!

Luísa Ferreira disse...

As mudanças acontecem, mesmo quando não contribuimos para elas... e nem sempre para o lado mais justo.

Vamos ajudar a MUDAR O QUE NÃO ESTÁ BEM!

Todos pela Alta!