segunda-feira, 10 de março de 2008

O DIREITO AO CONTRADITÓRIO

Última hora!

Em declarações - francas, abertas, exclusivas - ao Viver, o senhor Vereador Manuel Salgado declarou o seu total apoio à ideia de cidade que a Alta representa. Contrariando a ideia que lhe manifestámos - de que a Câmara estava a desbaratar, com os presentes adiamentos, a possibilidade de repensar Lisboa - afirmou a sua convicção de que a Alta era a última oportunidade de Lisboa. Ter este "apoio moral" vindo do interior da vereação é, mais que reconfortante, esperançoso (ver este apoio transformado em actos será mais difícil, dada a rarefacção de euros que habita os cofres da Praça do Município...).

Quanto ao imediato, as notícias não são tão boas. Reafirmando as ideias que diz ter já aposto nas resposta ao nosso questionário (as quais deverão estar em trânsito até à nossa caixa de correio) indicou que,

O problema da Santos e Castro divide-se entre a conclusão das negociações com a Câmara de Loures para sanar o diferendo de ocupação ilegal de terrenos da Câmara de Loures pela SGAL aquando da empreitada - a qual motivou uma acção judicial - e as negociações com os donos dos armazéns Ruela para aquisição do terrenos. Durante o corrente ano estima-se que os diferendos estejam sanados, eliminando-se os últimos obstáculos à conclusão da via.

A ligação à 2ª Circular é considerada emblemática e de extrema importância para toda a zona, pelo que a solução contida no projecto não dá respostas suficientes. Está-se a redesenhá-la na totalidade, existindo negociações com o LNEC para cedência dos terrenos necessários à implantação da nova solução. Dado que o Eixo Central só faz sentido com uma ligação à Av. do Brasil, será efectuada "o mais depressa possível" uma ligação provisória à rua das Murtas com uma passagem inferior à 2ª Circular.

O Centro Cultural é pago em partes iguais pela CML e pela SGAL. Dadas as restrições correntes em termos de orçamento, a Câmara não entende como prioritário o investimento ("ainda que o Centro seja de todo em todo imprescindível") num Centro Cultural no próximo ano e meio (pelo que estaremos pelo menos mais 3 anos sem centro cultural de referência)

E são estas as notícias em jeito de "newsflash". Perdoe-se-nos o mau texto, mas estamos a transmitir directamente das escadas do Ateneu Comercial de Lisboa onde está a acabar o colóquio dos Cidadãos por Lisboa sobre o futuro da Baixa.

Quando as já manuscritas respostas do Arq. Manuel Salgado nos chegarem às mãos voltaremos a debater as suas opções.

Boas noites (que amanhã há gente que trabalhe)!

11 comentários:

Anónimo disse...

Apesar de tudo acho que em geral se trata de boas noticias!

Anónimo disse...

Ah leões! Onde arranjam vocês tempo para isto tudo? Muitos parabéns por fazerem tanto pela Alta de Lisboa e pela Cidadania! Parecem boas notícias. Mas uma coisa me deixa dúvidas: o Centro Cultural vai ser feito a meias entre a SGAL e a CML? Não era suposto ser a SGAL a pagar por inteiro os equipamentos?

Rui

Anónimo disse...

Desculpem, mas nao posso partilhar deste optimismo. Ja sabiamos desde o programa na Antena 1 que o projecto da porta Sul tinha sido suspenso e que estava a ser "repensado". Salgado confirma agora isso mas tambem adianta que o Eixo central so' faz sentido no ambito deste "repensamento" e da ligacao 'a Av. Brasil e que tudo esta dependente de negociacoes com o LNEC!...Promete entretanto a conclusao da Santos e Castro com uma ligacao temporaria a 2 circular.

Tudo isto cheira a muitos, muitos anos de atraso, com as solucoes temporarias a ficarem definitivas...

Se a ideia inicial era ligar a Porta Sul ao Campo Grande pelos terrenos baldios da azinhaga das Murtas (referido num post do Tiago). Porque agora estas negociacoes com o LNEC, cujos terrenos se encontram no sentido contrario (np sentido do Relogio e Av. Rio de Janeiro) ?

Desculpem, mas a ideia de tudo isto parece ser baralhar o pessoal e matar definitivamente o projecto da Alta.
PD

Anónimo disse...

Dr. Carlos, onde esta' ?
Confirma que a CML esta' a tentar matar a Alta ?
PD

Pedro disse...

PD, leia lá o post novamente:

"A ligação à 2ª Circular é considerada emblemática e de extrema importância para toda a zona, pelo que a solução contida no projecto não dá respostas suficientes. Está-se a redesenhá-la na totalidade, existindo negociações com o LNEC para cedência dos terrenos necessários à implantação da nova solução."

Os terrenos do LNEC são para permitir a implantação do novo desenho do nó de ligação da Porta Sul, não para a ligação do Eixo Central...

"Dado que o Eixo Central só faz sentido com uma ligação à Av. do Brasil,(...)"

Eu percebo a influência que os posts do Tiago teem mas em nenhum lado deste post está escrito que a ligação é com o Campo Grande - a avenida do Brasil passa na sua transversal... e o que o Arq. Manuel Salgado referiu é precisamente a ligação à Av. do Brasil via Rua das Murtas (abandonando-se, pelos vistos, a criação de uma nova via atravessando os terrenos esperados do quarteirão existente entre as Murtas e o Campo Grande).

Ora esta ligação "provisória" é muito mais positiva do que a situação actual, ela sim passível de justificar os atrasos da empreitada do Eixo Central - já que seria mais um funil a acrescentar à colecção dos existentes.

Pessimistas, pessimistas, devemos estar com o adiamento do Centro Cultural. Considero que faria muito mais pela interligação com a restante cidade do que a Porta Sul.

Anónimo disse...

Há demasiados utópicos, neste discurso cheio de utopias!!!

ass. o morador utópico

Anónimo disse...

Pedro, acabei de ouvir outra vez o segmento do programa da Antena 1, Portugal em Directo sobre a Alta, onde o representante da CML (Catarino Tavares) diz primeiro que nao havia projecto para a ligacao da santos e Castro 'a 2 circular e, 2 minutos depois, que a CML mandou suspender o projecto da porta Sul (afinal sempre havia projecto!) "por ser uma obra demasiado cara e por nao corresponder as espectativas e ao desenho ao que se pretendia para a ligacao ao Campo Grande."

Portanto a ligacao ao Campo Grande estava de alguma forma prevista no projecto porta Sul que a CML mandou suspender (precisamente por nao ser satisfatorio nesse aspecto e por ser caro). O Tiago nao inventou nada no post dele ! O Dr. Carlos tambem ja confirmou em comentarios no VIver que essa solucao estava prevista no projecto da Porta Sul e o que faltaria era a ligacao entre a Azinhaga das Murtas e o Campo Grande.

Tambem nao me parece que para o projecto que foi mandado suspender, fosse necessario fazer ainda negociacoes com o LNEC, uma vez que o Dr. Carlos afirma na entrevista que em Janeiro de 2007 a SGAL ja tinha escolhido um empreiteiro para comecar a obra. Pressupoe que nao so' havia projecto como condicoes para executar o projecto, incluido financiamento, certo? E se o projecto ja era caro sem os terrenos do LNEC, nao sera' mais caro com os ditos, agora ? (Para alem do custo da perda de oportunidade que era ter comecado a obra em Jan.2007. Estariamos a poucos meses de estar pronta !)

Desculpe, mas tudo isto me parece apenas ser o Dr. Salgado mais a CML a mandar muita areia para os olhos do Pedro, os meus olhos e os olhos de toda a gente que tem algum interesse que o projecto da Alta avance. E por mais vontade que eu tenha em estar errado, nao estou, de facto.

O Centro Cultural e' para esquecer.
PD

Anónimo disse...

O Dr. Carlos ja nem sequer aparece, depois de o terem ameacado com a "sindicancia". A PIDE acabou a 30 anos, mas o espirito continua.

Anónimo disse...

Recupero em baixo o comentario do Dr. Carlos ao post do Tiago http://viveraltadelisboa.blogspot.com/2008/01/ligao-do-campo-grande-2-circular.html

Tiago,
A ideia não é boa, é excelente. E está subjacente ao Projecto Alta de Lisboa, desde a 1.ª Hora. O Arq. Eduardo Leira, autor do plano de Urbanização, tem defendido esta ligação e a requalificação desta zona de oportunidade para a cidade, que vai da Av. Brasil /Campo Grande até à Porta Sul, desde sempre. Continua a defende-la com "unhas e dentes". O executivo anterior decidiu primeiro avançar com o projecto da Porta Sul estudando-o de forma a que esta solução não fosse comprometida. Foi o que aconteceu.
E estão estudos e estudos e o projecto da Porta Sul prontos à espera que alguém "decida" avançar.
Eu diria que sem essa ligação o projecto Alta de Lisboa, nunca será o que pode ser. O projecto foi pensado e bem pensado como um todo - Vias, malhas urbanas, unidades de planeamento e gestão (UPG), parques urbanos. O PUAL tem muitos documentos, que não apenas o Regulamento que se conhece. Por exemplo, a Porta Sul, as vias principais, os parques urbanos têm um detalhe grande nos vários documentos que fazem parte integrante do PUAL (que tem sido respeitados) e são garantia de segurança e bom planeamento urbanístico.
Todos se queixam que não há planeamento (noeadamente urbanistico) em Portugal. Ora, se há sitio onde houve esse planeamento é no Alto do Lumiar. Foram anos de reuniões com todos os serviços da CML, até se chegar ao actual PUAL. E no caso da Porta Sul ao fim de muitos anos de projectos e projectos (enterrar, ou não, a 2.ª Circular, com quantas vias, com semáforos ou não....) ficou pronto e aprovado em 2005 um projecto final. Entretanto, foi desenvolvido o projecto de execução e lançado um concurso para escolha da empresa construtora. Que foi escolhida. Falta começar…
Bom e mais duas ou três coisas que se descobrem apenas quando está tudo pronto a avançar…
Nesse projecto está prevista, claro, a ligação pedonal e através de ciclovia ao Eixo Central e neste está previsto o mesmo o que permitirá ligar (articulando com o projecto de ciclovias desenvolvido pela UPAL/SGAL e com o Eixo Pedonal) 3 Zonas Verdes Fulcrais para cidade de Lisboa: Campo Grande, Quinta das Conchas e Parque Oeste.
Está pronto, é rápido e até tem forma de ser financiado...
Aposto que o Vereador dos Espaços Verdes não sabe isto! Nem quer saber...
É pena.
Quanto ao Vereador do Urbanismo, conhece o projecto da Porta Sul e a ligação ao Campo Grande...
A ligação do Campo Grande (onde quer que seja, pois havia uma solução que implicava demolir o edificio do World Trade Center...o que apesar do nome não seria nada de extraordinário numa cidade com visão) é vital para a Alta de Lisboa e permitirá criar uma zona de oportunidade e requalificação urbana em Lisboa dificil de encontrar.
Pelos vistos andam todos distraidos, ainda bem que o Viver não.
Um abraço do
Carlos

Anónimo disse...

Ou seja foi aprovado o projecto final da Porta Sul em 2005, depois de ter sido pensado e repensado durante anos. Chegou-se a um consenso que era suficientemente flexivel para permitir solucoes futuras como a ligacao ao Campo Grande pela Azinhaga das Murtas. Havia todas as condicoes para executar a obra e o empreiteiro ja tinha sido escolhido pela SGAL...

O Arq. Salgado TEM de dar razoes muito validas e especificas sobre o porque de ter mandado suspender este projecto e qual a necessidade de mandar "redesenhar na totalidade" esta obra da Porta Sul. Ele deve estas explicacoes a comunidade da Alta e toda a gente interessada, incluindo os autores do VIver, devem pedir incessantemente estas informacoes ao Sr. Vereador ate' ele vir a publico com as ditas razoes.
PD

Anónimo disse...

Boa notícia - a de que haverá Centro Cultural. Três anos... desde que se realize!!!
Para isso e muito mais pagamos IMI descomunal.