domingo, 25 de novembro de 2007

Repavimentação na Av. Nuno Kruz Abecassis

O piso do estacionamento lateral na Av. Nuno Kruz Abecassis, no lado do Parque Oeste, está a ser removido. Na altura da construção da avenida, a SGAL, dona da obra, finalizou esta zona com piso alcatroado, semelhante ao das faixas de rodagem, contrariamente ao previsto desde sempre no PUAL, em paralelos, tal como na faixa de estacionamento do lado oposto. Mas agora tudo ficará como mandam as regras.

9 comentários:

Anónimo disse...

Tambem reparei que o fim da Santos e Castro (do lado da 2ªa circular) parece ter sido pavimentado de novo.
Julgo que vi alcatrao novo e marcações brilhantes...

Será que estão a pensar numa abertura parcial?

Alguem tem informação sobre isto?

Pedro disse...

É curioso como o Estado continua com dois pesos e duas medidas consoante o lado da barricada onde se coloca.
Neste caso o Estado - leia-se a Câmara Municipal de Lisboa -, obriga a SGAL a cumprir com o acordado. Nos casos em que é a Câmara que está em incumprimento - por exemplo a Santos e Castro - tudo continua como dantes, quartel-general em Abrantes.
E depois queixem-se que seja voz comum que o Estado não é pessoa de bem...

Anónimo disse...

Concodo com o Pedro. E com tanto por fazer (nao so a Santos e Castro) e um pouco ridiculo estar com estes preciosismos...
PD

Anónimo disse...

Parece-me uma óptima ideia. Aquele lado do estacionamento tinha e tem um ar temporário e precário.

Pode ser que, de agora em diante, haja uma ordem em matéria de estacionamento e que deixe de haver camiões de largo porte estacionados na horizontal, ocupando mais de três lugares de estacionamento. É inestético, inoportuno, e um péssimo cartão de visita da zona e do Parque Oeste, que surge, assim, subalternizado pela visão do ferro e dos enormes contentores.

Anónimo disse...

É um escândalo que com as necessidades ao nível de melhoramentos em todas as vias nesta zona ( a começar ali ao lado na Santos e Castro) que estes senhores cheguem ao cúmulo de gastar centenas de euros em alterações deste tipo. Mas mais aflitivo e incompreensível é existirem pessoas a aplaudirem este tipo de iniciativas ... sem comentários !!

Rodrigo Bastos disse...

E com este comentários depreendo que o projecto fique parado até termos a Santos e Castro...

Pedro Veiga disse...

Vivemos num "país rico" que tem estes luxos: as obras são sempre mal acabadas para depois ter que vir alguém a troco de mais algum dinheiro remendar o que está mal.

Anónimo disse...

Desculpe mas viu alguma coisa mal ?? qual a diferença em termos práticos entre o alcatrão e o empedrado ? só um doido (ou alguém que queira dar dinheiro a ganhar aos seus boys) é que pode levantar um problema desta natureza e impor a sua alteração.

Pedro disse...

É claro que há diferenças.
Em primeiro lugar, a "pequena" diferença do projecto ter sido aprovado com uma solução e não com outra.
Em segundo lugar, o facto de, em termos visuais, as soluções não terem o mesmo impacto.
Em terceiro lugar, o facto do pavimento em paralelipípedos ter uma capacidade de resistência à carga muito superior à de uma camada de desgaste em alcatrão, logo uma longevidade muito maior (vejam-se as zonas de paragem de autocarros em ruas inclinadas e a solução que a CML implementou há alguns anos).
Pode parecer um preciosismo e pode-se alegar que o tipo de veículos a estacionar não necessita de uma solução "pesada"; pode-se continuar afirmando que os camiões que por lá param o não deveriam fazer e, portanto, não são justificação para a alteração.
Mas acordos são acordos e licenciamentos são licenciamentos pelo que fica muito bem aos serviços da Câmara a exigência na reposição do autorizado.
O que não fica bem é o uso dos dois pesos e das duas medidas.
O que não fica bem é o rigor exigido aos outros e o desleixo no cumprimento dos compromissos permitido dentro de portas.