segunda-feira, 26 de fevereiro de 2007

Carmona "petiscou, prometeu e não cumpriu"



Carmona "petiscou, prometeu e não cumpriu"
Marina Almeida
DN, 25 de Fevereiro de 2007


Os moradores da Rua Pedro Queirós Pereira, na Alta de Lisboa, estão zangados com o presidente da câmara e saíram ontem das suas casas em burburinho. É que a revitalização desta zona de casas camarárias que Carmona Rodrigues elencou nas 309 medidas do seu programa eleitoral está por fazer. Os 21 lotes, onde vive cerca de um milhar de pessoas, expõem a degradação de quatro décadas sem qualquer obra de manutenção.

"A recuperação dos prédios foi uma das promessas da campanha. [Carmona Rodrigues] veio cá, ofereceu bolas de futebol, petiscou na nossa associação, prometeu e não cumpriu", recorda José Machado, um dos organizadores do protesto. "Já é uma luta muito antiga", diz José Bandeira, da comissão de moradores da Rua Pedro Queirós Pereira. Residente no lote 3, diz que "a câmara não gastou aqui dez tostões" em conservação e aponta os perigos da degradação: da fachada do seu prédio já caíram "duas ou três vezes" pedras que danificaram carros estacionados.

Mas todos os manifestantes têm reclamações. Muitos queixam-se das infiltrações e do mau estado dos prédios, que "nunca viram tinta", outros do esgoto a céu aberto que se forma no exterior de alguns lotes quando as fossas atingem o limite.

Foi nos 225 apartamentos da Pedro Queirós Pereira que a Câmara Municipal de Lisboa (CML) fez, há 36 anos, o realojamento do Bairro da Musgueira. Hoje, de acordo com os moradores (uma população maioritariamente idosa), 92 fogos são da Gebalis, 129 foram "alienados". Contactado pelo DN, o gabinete do vereador responsável pela Acção Social da autarquia, Sérgio Lipari Pinto, apenas disse que a grande maioria dos fogos já não é nem da CML nem da Gebalis, remetendo outras informações para a próxima segunda-feira.

Talude amplia protestos

O descontentamento dos munícipes agravou-se nos últimos três anos, quando o acesso à Rua Helena Vaz da Silva foi cortado, deixando inacessíveis ao trânsito automóvel os lotes 20 e 21. Idalina Santos mora no prédio pendurado sobre o morro que então se criou, com vista para os prédios novos que dão fama à Alta de Lisboa que as imobiliárias promovem. "Já viu o que é a velhice toda aqui? É o fim do mundo", diz a septuagenária.

Nos últimos meses foi feito um talude em tons ocre que alindou o bairro social, visto dos prédios novos. Quem sobe as escadas encontra a degradação. "Até podemos ter vaidade dentro de casa mas na rua é uma porcaria", desabafa Odete Costa, uma das arrendatárias da CML.

9 comentários:

Anónimo disse...

Então e o dinheiro que o "pessoal" faz a vender droga, não dá para arranjar os predios? As ruas estão uma vergonha porque as pessoas são PORCAS, observem-nos durante 5 minutos e podem confirmar aquilo que eu digo.

joana disse...

Sim, as septuagenárias que ali moram devem vender muita droga...

E o talude em tons ocres (assim até soa bem) alindou alguma coisa? Aquela é a requalificação de um morro mais feia que já vi! Acho bem que aquele talude amplie os protestos.

E é, realmente, uma vergonha a CML não fazer nada por aquelas casas. Os moradores da Rua Pedro Queirós Pereira têm toda a razão. E agora virão para ali, também, as obras do novo Centro Social da Musgueira o que não ajudará nada à limpeza. Bem podiam arranjar tudo de uma vez só.

Anónimo disse...

....não estou a ver como era antigamente esta zona ( devia ser péssima !!!)mas dizer que o talude alindou a zona....discordo completamente. Aquele talude é horrível, acho que há soluções estéticamente melhores.
Quanto ao bairro propriamente dito, precisa urgentemente de intervenção.
Quantas medidas mais vão ficar pelo caminho??
Marta

João Tito disse...

Para o Sr. anónimo que fez o 1º comentário.

Qual a razão do seu comentário?
O que é que o motiva a escrever com tanto ódio e violência?
Sinceramente não entendo.

Anónimo disse...

A Associação de Moradores do Bairro da Cruz Vermelha convida o anóniomo que fez o primeiro comentário, a uma visita guiada.

não tenha medo somos pessoas de bem!

temos todo o prazer ambcvlumiar@sapo.pt

Anónimo disse...

Mas se as casas já não pertencem à CML porque é que esta há-de pagar as obras???? Paguem os proprietários como em qualquer outro prédio!!!!

E quanto ao mau estado da envolvência a culpa é muito provavelmente dos moradores que nada fazem para melhorar o que têm e ainda devem contribuir para a degradação!!

E uma vez que são pessoas de bem paguem o que vos compete e eduquem os vossos filhos para a cidadania, por forma a não andarem a partir o que é dos outros e a pintar as paredes dos prédio vizinhos.

Quanto ao talude é melhor do que o que lá estava antes...ou seja, lixo que os moradores da rua para lá deitavam!!!

Anónimo disse...

total de fogos 224
total da CML 92
total alienados 132

Dos actuias 132 fogos alienados durante 7 anos ou fogos são e não da propridade de quem os comprou, porque durante 7 anos os moradores não podem vender.
A factura a pagar agora é um preço alto devido ao longo do 30 anos em que a Câmara foi senhorio nada fez.

agora tem que perguntar a Carmona Rodrigues porque a promessa de reabilitar o edificado nos 180 dias iniciais do seu mandato.

Em relação ao teu comentário:
Falas de educação não esta a ser bem formado quando falas de uma população que não conheces!

Nem conheces o passado desta rua nem das promessas desde o tempo da EPUL, lispartim,etc....

Rodrigo Bastos disse...

Sinceramente há comentarios que só podem ser feitos sob anonimato.

Haja a capacidade e vontade de não se colocar tudo no mesmo saco e de se analisar o que nos rodeia. Enquanto não se fizer isto, nunca mais iremos evoluir como sociedade tenhemos as aulas de cidadania que tivermos.

Anónimo disse...

Critico a forma como o 1º comentário foi feito, até porque há que separar o (pouco)trigo do joio (infelizmente bastante abundante por estas paragens), mas focalizando-me mais abaixo na Alameda da Música, pude ontem constatar que havia mais lixo em cima da relva do que verde. Só garrafões de 5 lts de água vazios eram mais de 3, só no 1º tapete de relva, pois o triste espectáculo prosseguia - não sei se é uma nova moda a juntar às argolas, aos bonés, capuchos enfiados por cima da cabeça e às calças de treino enfiadas por dentro da meias :)))avançando mais 1 pouco via-se de tudo com os "animais" (desculpem o termo mas não os posso apelidar de outra forma, dados os seus comportamentos) a deitarem para o chão mesmo à minha frente garrafas de cerveja provenientes da sede da SAD do grupo desportivo da Alta (mais conhecida por tasca do RAM).

É possível fazer alguma coisa por esta zona ? vale a pena investir em limpeza qd. passado 1 hora volta a estar tudo consporcado ? vale a pena investir o dinheiro dos nossos impostos em gente que nem sequer preza o que lhes é dado de mão beijada qd todos nós tivémos (e têmos) q fazer sacrifícios para comprar as nossas casas? não foram já estendidas as mãos demasiadas vezes a esta gente ?? não chegou a altura do Estado criar uma brigada tipo ASAE para entrar por estes bairros e começar a expulsar todas as pessoas q não zelam pelos espaços (interiores e exteriores) e que se encontram em situações de ilegalidade de baixa fraudulenta, RSI falsos e vencimentos pagos sem qq tipo de descontos ??? (aconselhos todos a passarem pela pastelaria da Tomás del Negro e a observarem o valor médio da despesa per capita em bolos, tabaco, refrigerantes e afins que esta gente consome aos fds, atirando depois os restos para o chão mal saem da porta do estabelecimento..)

Até quando este país vai viver com metade da população a subsidiar a boa vida da outra metade ??? Até quando uma boa parte dos que pagam impostos e fazem uma vida honesta vão continuar a proteger esta gente em detrimentos dos honestos e dos mais carenciados "reais" que desta forma se veêm privados de maiores apoios ???

Como referi inicialmente não estou a atingir toda a população, pois existem muitos idosos que são pessoas sérias e a única coisa que podem ser acusados foi de nunca terem sido aconselhados a descontar para a Seg. social, vindo agora reclamar reformas e habitações condignas. Perdoem-me pela minha opinião mas uma boa parte dos moradores da Alta (PER)são indignos das casas e dos espaços que vivem, isso é um facto indesmentível e quem disser o contrário é cego, ou julgam que os parques infantis e as fachadas dos prédios destruídas são obra de ouitras pessoas ?? se calhar é a Juve Leo que sai do estádio e vem fazer uma perninha à Alta, não ???

PS- volto a sublinhar que não estou a incidir unicamente sobre o bairro alvo deste post mas sobre toda a área e especuialmente sobre os adeptos da filosofia dos coitadinhos e de que tudo é compreensível e desculpável.