terça-feira, 14 de novembro de 2006

Tolerância na Alta de Lisboa


















Na próxima 5ª Feira, 16 de Novembro, o programa Sociedade Civil abordará o tema "Tolerância- um valor universal". As filmagens decorreram na Alta de Lisboa e foram entrevistados moradores do PER e da recém criada A.R.A.L. (Associação de Residentes do Alto do Lumiar).
O programa do canal Dois é apresentado por Fernanda Freitas e vai para o ar as 14:00.

24 comentários:

Anónimo disse...

gostava de saber mais sobre a Associação de Residentes do Alto do Lumiar.

Faço parte dos corpos sociais da Associação de Moradores do Bairro da Cruz Vemelha, somos vizinhos e gostaria de marcar uma reunião com os elementos que fazem parte da nossa Associação local.
ambcvlumiar@sapo.pt

Tiago disse...

Eu também gostava de saber mais. Não existe um blog da ARAL, ou outra coisa do género? João, Rodrigo, Ana: a palavra é vossa.

ana disse...

ola Tiago
nao sei se ha mais, mas ha este blog:
http://associacao-moradores-alto-lumiar.blogspot.com/

João Tito disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
João Tito disse...

A ARAL, como não podia deixar de ser, vai ser uma associação aberta à participação de todos, mas está agora a começar, mais algum tempo e terão mais as informações sobre a associação.
Caros colegas da Associação de Moradores do Bairro da Cruz Vemelha muito em breve serão contactados para agendarmos uma reunião.

O nosso email é altolumiar@gmail.com

sushi disse...

Gostava que repetissem o programa...
Caso contrario, se alguém gravar gostaria de o ver...

Pedro Veiga disse...

Também gostava de ver o programa... mas a estas horas de um dia de semana vai ser difícil.

Anónimo disse...

olá João Tito

Força com a ARAL e se precisarem de ajuda da AMBCVLumiar podem contar com o nosso Apoio.



João Carlos - Presidente da Assembleia Geral da AMBCVLumiar

Carlos disse...

A abordagem de uma tema como a tolerancia feita a partir da Alta de Lisboa parece muito interessante uma vez que esse é claramente um valor caracterizador do nosso projecto.
Fico, pois, muito curioso em ver o programa e como o tema vai ser tratado. A visão de quem foi abrangido pelo Programa Especial parece-me essencial. Quanto à Associação de Residentes, gostaria de saber mais. Até porque fiz uma pesquisa rápida no Diário da República e não descobri a publicação dos estatutos da Associação, o que me leva a deduzir que ainda não existe verdadeiramente como tal, pelo que pronunciar-se sobre a Alta pode ser discutivel.
Sem prejuízo do exposto era util conhecermos os estatutos e os objectivos.
Aguardemos para já pelo que disseram no programa.

luis disse...

Vi.. e nao gostei..

Deu um pouco a entender que as fracas vendas de 2005 se deviam à convivencia com os per's e nao devido aos problemas que até geram abaixo-assinados.. "a malta chega, ve os bairros e pensa duas vezes"

Acho que nao é bem por aí..

Abraços, luis.

Anónimo disse...

Tolerancia:

Quando falamos dos Per`s estamos a falar de pessoas a viver no Alto do Lumiar a mais de 40 anos.
Falamos de Moradores das Antigas musgueira Norte/Sul (Per 1,2,3), Bº da Cruz Vermelha (Per 12 Condominio da Torre) Quinta Grande Per 7 entre outros Per´s destribuidos pelas freguesias do Lumiar, Charneca e Ameixoeira mas população que já residia do Alto do Lumiar.
Quando falamos de Tolerancia estamos a falar das pessoas que sairam de determinadas zonas como a Musgueira Sul para dar lugar a Condominios de luxo ( Parque das Conchas) por sinal mesmo ao lado de dois jardins maravilhosos.
Malha 14, cerca por completo o Bª da Cruz Vermelha deixa de ter vista para dar lugar a mais um condominio fechado com vista para o parque Oeste.
Tolerancia de quem? de quem ja cá morava !

Anónimo disse...

Morava em barracas e agora mora num apartamento com todas as condições. Teve a casa 1º do quem as pagou à SGAL; mensalmente paga uma renda mínima; as criancinhas destroem por completo as fachadas dos prédios à pedrada e com grafitis e o chão é por vezes um monte de lixo. Como se não bastasse 90% dessa gente não trabalha e ainda somos nós com os nossos impostos mensais q sustentamos as cervejas e os cigarros do dia-a-dia através do RSI, muitos deles fraudulentos.Esta é a realidade ou tenho q falar do mercedes classe C coupé q está sempre estacionado à porta do Real Águias ou do SLK preto q está sempre na esquina ao pé do Marcão ??? Deviam era haver mais fiscalizações por parte da Segurança Social e da UPAL para q quem não zelasse por aquilo que lhe foi proporcionado fosse despejado para baixo da ponte sem qq tipo de contemplações pois há mais gente à espera de uma oportunidade para realmente mudar de vida e grande parte desta gente vive na subsídiodependência. Para além disso as barracas q esse sr. se refere estvam em terrenos q pertenciam à CML, logo não há qq tipo de legitimidade em reclamar, ou será q queria ter direito a uma parte dos apartamentos na Qta da Conchas só pq eram ex- moradores em casas clandestinas nesse local ???

Anónimo disse...

La vamos nos para mais um debate de intolerancia. Se e contra os subsidios porque e que nao vota de acordo, e pronto. Em democracia e a unica coisa que pode fazer.
Nao se esqueca que estas politicas sociais envolvem educacao "gratuita" ate ao fim de uma licenciatura, saude "gratuita" para todos, reformas para pessoas como a minha avo que trabalhou em casa toda a sua vida mas que nunca contribuiu para um fundo de pensoes e que ate ao dia em que morreu recebeu uma pensao de sobrevivencia.
Por favor nao me digam que propinas de 250 Euros por ano pagam o custo de um curso superior ou que as listas de espera para uma operacao vital e de 2 a 3 anos.
Porque a alternativa e muito mais cara do que imaginam. Seguros de saude altissimos e propinas de 20. 000 Euros por ano.

Anónimo disse...

Como pode comprovar, uma grande parte dos habitantes do PER não são idosos, e em muitos casos são pessoas q não fazem descontos pq não querem trabalhar como o resto da população.È mais fácil pedinchar uma casa em frente das cameras da TVI e dizer q tem 10 filhos famintos do que andar a trabalhar.

Qto. ao Estado Social q o senhor refere, pura e simplesmente já se encontra a ser repensado em toda a Europa. O envelhecimento da população, as txs de desemprego, a redução das contribuições e outros factores vieram comprovar que as benecesses oferecidas de maõs largas no pós 25 de Abril e no período do Tonecas vieram desgraçar completamente as Finanças Públicas.

Falando da Educação, o problema é q toda a gente quer tudo: menos impostos, mais regalias, melhores salários, mais emprego e tudo isto sem contrapartidas !!! já pensou em pôr a andar as centenas de docentes q nem sequer dão aulas e q só desempenham tarefas para os sindicatos e ainda auferem o vencimento por inteiro ? a minitra diz q não vão ser dispensados e o líder da oposição aplaude !!!investigadores q não publicam artigos em número suficiente e estão no topo da carreira ? recordo-lhe q no caso da Educação mais de 90% das despesas são em salários- os vampiros comem tudo e enquanto assim for não há possibilidade de melhorar instalações, bolsas de estudo e residências universitárias neste país !!!
Sabia q grande parte dos FP's q fizeram greve na semana passada foi através de atestados médicosfalsos para não lhes serem descontados os dias nos seus vencimentos ??? acha mal q se paguem propinas ? que justiça é essa em que o q ganha pouco e o q ganha muito são fiscalmente tratados da mesma maneira ??? e já não falo dos trab. independentes q falseiam os valores dos IRS e IRC para ficarem isentos. Por outro lado discutem-se propinas de 250 € mas depois vamos ver e quase todos os meninos da faculdade têm carro próprio oferecido pelos papás....o problema deste país não é de tolerância é de mentalidade. Enquanto existir subsídios não há dinâmica económica e crescimento. Ordem para Liberalizar, ordem para fiscalizar, ordem para fechar a torneira a q não demonstra vontade de mudança. E se tudo isto for executado vai ver q a sua avó vai passar a receber um reforma bem maior do q a q recebe actual/, cujas verbas são actualmente canalizadas para muitos RSI fraudulentos.

Anónimo disse...

resposta ao post de 16 de Nov. 11:34:21.

Informo V.Exª que ou o Sr. é ignorante ou então é Parvo, penso que é pior.

Vou falar sobre a Musgueira Sul Bº construido pela C.M.L. terreno duado para fins sociais.
Pergunto casas clandestinas? Não!
terreno da C.M.L. tenho muitas duvidas,porque o terreno foi duado para fins socias esta a comprir estes fins? Não!

pagamento de rendas, já que sabe muito sobre bairros socias existe rentas técnicas e rendas socias.
pago uma renda de 350,00€ é muito é pouco não sei foi o valor calculado e é o valor que pago mensalmente.

com o seu discurso antisocial o sr. devia pensar duas vezes em comprar casa nesta zona, zona de cascais, estoril, lapa Estrela não sei são sugestões.

nem todos nascem em berços de ouro.

Mas acredite conheco muita gente ou gentinha como o Sr.de colarinho branco pior que muitos subsídiodependentes .

Mas este é o nosso Portugal de Progresso e de xuliçe os mais pobres são subsidiodependentes os mais ricos nomes como...o sr. deve saber que estão atrás das grades são o que ?

Anónimo disse...

Tolerância é sabermos viver com a diferença e não acho que argumentando que uns recebem RSI e outros espremem subsidios seja realmente a solução para a mitigar o estigma da intolerância e da insegurança que tanto fala sobre a nossa zona.

Todos nós temos argumentos para mandar à cara uns dos outros, mas, o facto concreto é que há coisas que nos unem como moradores do Alto do Lumiar e que são o de zelar pelo bem estar da nossa familia e o de morar num bairro onde nos saiba bem viver, conviver e desfrutar

Realmente a grafitagem e o lixo ruas não são (também para mim) nada agradaveis de se ver. Conotar isso a um determinado "estrato social" é que é errado...absolutamente errado, pois todos estes exemplos são transversais a todos os moradores da Alta de Lisboa. Sou um morador de venda livre, tenho um sobrinho que faz graffitis e vizinhos meus que deitam lixo na rua.

Quanto ao programa, a única coisa que gostei foram as intervenções dos moradores do Alto do Lumir. Não gostei mesmo nada do resto da reportagem.

Para finalizar só mesmo falar da CML e JF's, pois são elas que estão a borrar este quadro todo...

Anónimo disse...

Existe muitas ansiedades, necessidades e sonhos que são comuns e não são utópicos apenas é necessário acreditarmos que é possivel consagrar todos os esforços para desenvolver o espaço urbano do Alto do Lumiar.

Segurança de pessoas e bens, Acessos,Equipamentos e Serviços,Espaços Verdes, zonas de lazer e desporto, higiene urbana .

A determinação e a força dos moradores deve ser um trabalho continuo.

É necessário apelar a Tolerancia, e devemos estar ao lado de todos aqueles que querem efectivamente contribuir para o bem estar e desenvolvimento do Alto do Lumiar.

João Carlos - Bº Da Cruz Vermelha Lumiar

morador_da_alta disse...

Subscrevo os dois últimos comentários

Anónimo disse...

Resposta ao post de 17/11 6:31

Em primeiro lugar duas observações para falarmos a mesma linguagem: Doado, tem origem no verbo doar e não duado. o termo chulice tem origem na palavra chulo e portanto não se escreve xulice. Portanto se existe aqui alguém que é parvo é com certeza V. Exa. que não sabe escrever em português...

Depois desta clarificação de linguagem informo V. exa. que nunca vivi em berços dourados, nasci e cresci na zona de Arroios, numa casa arrendada pelos meus pais, estudei em escolas públicas e não tenho qualquer tipo de preconceitos contra gente humilde, trabalhadora e honesta, tal como os meus pais e familiares. Aliás considero que a humildade é uma qualidade que todos nós deveríamos procurar cultivar. Custa-me assistir a situações cada vez mais frequentes de falta de civismo e de falta de educação por parte de pessoas de todas as classes sociais, pelo que dessa forma as suas acusações não têm qualquer tipo de aderência.

Em relação às suas acusações de pertencer ao grupo dos responsáveis pelos crimes de colarinho branco, devo informá-lo que sou trabalhador dependente, por acaso F. Público, pelo que essa possibilidade "morre à nascença", e informo-o q faço os meus descontos mensais, aliás superiores a 600€. Custa-me é verificar que grande parte destas verbas se destinem a subsidiar, sem qualquer objectivo positivo e construtivo, milhares de pessoas que não querem pura e simplesmente mudar de comportamento e que em muitos casos auferem rendimentos paralelos não declaráveis ao Fisco, motivo pelo qual circulam em Mercedes, enquanto eu circulo num carro de gama média. Como certamente compreenderá não pretendi generalizar todos os moradores e eventualmente no seu caso poderá não estar iincluído no grupo a que me referia, mas que existem muitas centenas destes casos na Alta, isso existem e não me pode desmentir, ou tenho que referir igualmente os BMW's de vidros escuros com música aos berros e outras viaturas tunning com sistemas de som de centenas de euros ?
Não lhe causa estranheza pessoas com Mercedes recentes viverem em habitação social ? não lhe causa estranheza que a fiscalização não incida sobre esses moradores ? não se sente indignado quando paga 350 € de renda e simultaneamnte tem vizinhos seus que andam de Mercedes e vivem em habitação financiada pelo Estado ??

Relativamente à questão da doação dos terrenos, sem querer afirmar com certeza, esses terrenos a que se refere não foram inicialmente ocupados elegitimamente e posteriormente a CML (em algum mandato em período quente pós 25 de Abril) não resolveu cedê-los, sem qualquer tipo de noção de injustiça para com os restantes munícipes? Infelizmente casos desses existem aos milhares, basta olhar para grande parte das casas do concelho de Loures, Seixal e Almada onde as câmaras entenderam que os problemas da habitação ilegal eram solucionados com recurso à sua legalização e não com a sua demolição.. menosprezando dessa forma todos os cidadãos cumpridores q adquiriram legalmente os terrenos e pagaram todos os impostos com a quisição de csa. É o Estado Social 3º mundista no seu melhor, que legaliza bairros de barracas só para poder receber impostos !!!!

Em conclusão: Quero viver na Alta, com pessoas de todos os estratos sociais, mas quero que todos estimem o que lhes foi proporcionado (para muitos de "mão beijda")pelo Estado e não tornem a Alta numa pocilga só pelo simples facto de muitas dessas pessoas terem vivido durante anos em condições indignas. Há que evoluir para novos patamares por vontade própria e nos casos em q tal não se verifique o Estado deverá intervir coercivamente. Não quero o parque das Conchs destruído e o parque Oeste com a estátua do Botero cheia de grafitis...

Se o Homem não tivesse saído das cavernas ainda hoje vivia como um bicho....

Anónimo disse...

Muito bem !

Agora faça a comparação deste post com o seu primeiro.

O primeiro era bastante ofensivo. Como eu vivo num bairro social não gostei de lêr.

E quem não se sente não é filho de boa gente.

fico satisfeito com a sua conclusão e um dia deste vamos tomar um café.
Em relação a Gramática nunca foi bom aluno na disciplina portugês desculpa qualquer coisa.

Anónimo disse...

já agora venho rectificar PORTUGUÊS de Portugal para falar
a mesma linguagem

Anónimo disse...

Só quero dizer que moro no condomínio da torre e quando a minha companheira que vem de metro sai mais tarde, tenho que a ir buscar ao metro porque é demasiado perigoso para ela vir a pé.
Já foi até importunada por alguns energúmenos que se encontravam a fumar droga na porta do prédio, atitude essa que valeu um telefonema à polícia a alertar para essa situação.

É obvio que não podemos por tudo no mesmo saco mas pelas últimas "movimentações nocturnas" dá para perceber que o bairro começa a ser cada vez mais frequentado por pessoas indesejáveis.

Felizmente moro em casa alugada e quando chegar o dia em que não se conseguir andar à vontade pelas ruas espero já não morar na alta.

Só espero que com a nova esquadra esta situação venha a ser ultrapassada.

Quero também fazer referência aos tunnings que causam poluição sonora com as suas discotecas ambulantes, depois das 24:00 e aos vendedores do bairro da Cruz Vermelha que, sem educação nenhuma, deitam o lixo no meio das ruas, com os contentores a escassos 5 metros. Quero também alertar que não foram nem uma nem duas vezes que já ouvi tiros dentro do mesmo bairro.

É muito bonito quando se fala em sermos tolerantes relativamente às minorias e exclusão social mas realmente já começo a ficar farto de viver rodeado de pessoas sem o mínimo respeito pelo próximo.

Anónimo disse...

pois é o pessoal da Cruz Vermelha é muito complicado e perigoso !


vamos colocar um placa a entrada do bairro a dizer Danger Zone!

Anónimo disse...

A Musgueira Vence sempre!!!
Alta de Lisboa, AhAhah, Alta do Lixo isso sim.
Olhem para telherias e spo e vejam o que saõ projecto imobilarios a sério.Só o nome de Alta de Lisboa é quanto baste para ninguem se quer ousar em comprar la mais casas. Isto é um facto impossivel de desmentir, só ha uma soluçao , mandar os Per para longe!