domingo, 26 de novembro de 2006

Bypass colocado em Santos e Castro

O Pedro Veiga tinha toda a razão. Na altura pensei que fosse o início do tramo Sul do Eixo-Central, anunciado dias antes pela SGAL face ao caos instalado nos acessos à Alta de Lisboa em hora de ponta após a decisão da CML de fechar a ligação entre a Av. Eugénio de Andrade e a Av. Maria Helena Vieira da Silva para a construção do Colégio de S. Tomás. Mas para esse tramo Sul acontecer, um troço já definitvo, já desenhado no projecto, é necessária a deslocação dos moradores do bairro de Calvanas para as novas casas construídas junto ao bairro Sete Céus, e como isso tarda em ser feito, vamos vendo a futura-ex-Av. Santos e Castro ser operada com bypass atrás de bypass para melhorar a circulação. Aqui fica um video nocturno com uma boa banda sonora.

6 comentários:

Pedro disse...

Como Aspirina vai resultar.
No fundo, é reposta a (má) situação anterior. Mas antes uma má situação do que uma muito má situação.
Venha o inverno.

Anónimo disse...

Acho que nem como aspirina... Vamos esperar que o que o governo está a anunciar hoje se concretize e tenhamos o eixo norte-sul concluído em Abril.
RS

Pedro Veiga disse...

Ainda ontem o jornal Público mostrava os resultados de um estudo sobre a evolução do número de habitantes em Lisboa (concelho). Aí verifica-se que nas zonas mais setentrionais haverá um aumento significativo do número de habitantes até 2013. Agora cabe perguntar se a Alta de Lisboa conseguirá atrair o número necessário à execução fundamental do plano de desenvolvimento, isto é, necessário para atingir a meta dos 60.000 habitantes.
Para tal o desenvolvimento do eixo central é peça fundamental de todo este projecto que permitirá articular todos os espaços. Outro desafio é a ligação à cidade mais antiga através das ruas e passeios pedonais de qualidade por onde todos possam circular com segurança. Para isso é fundamental, por exemplo, a conclusão do Parque Oeste e a sua ligação com a Ameixoeira ou a conclusão da nova estrada da torre que fará a ligação directa com o Lumiar. As grandes vias rodoviárias uma vez concluídas (Santos e Castro e eixo norte-sul) servirão para colocar os engarrafamentos definitivamente fora do bairro. Fala-se hoje que o eixo Norte-Sul estará pronto em Abril de 2007 (embora eu pense que será mais em Abril de 2008) e nada se sabe da Santos e Castro. Só com todas estas obras concluídas é que o projecto da Alta será viável.

sushi disse...

Exactamente.
Caso contrário a SGAL continuará a ter dificuldade na venda de apartamentos!

Tiago disse...

Não sei qual é o universo de compradores que está a ser considerado no estudo, mas só vejo como compradores da 1ª casa os potenciais novos habitantes de Lisboa. Senão, os outros, os que já têm casa noutro concelho e queiram vir para Lisboa, a quem vendem as casas que têm? Com as taxas de natalidade baixas, a imigração a diminuir, o poder de compra a baixar, parece-me uma expectativa demasiado alta, esse aumento tão significativo do numero de moradores.

Depois há outra questão, estando a CML tão activa e patrocinadora de novos projectos imobiliários, tão carente de novos contribuintes, mas sobretudo de quem lhes compre terrenos licenciados para construção, torna-se um bocadinho perverso o papel moroso que tem tido na Alta de Lisboa.

João Tito disse...

Não deixa de ser uma aspirina, mas para já resultou, hoje de manhã não apanhei trânsito.