domingo, 4 de junho de 2006

Já há moradores nos Jardins de S. Bartolomeu!

Photobucket - Video and Image Hosting
Jardins de S. Bartolomeu, 4 de Junho de 2006

Hoje ao passar pelos “Jardins de S. Bartolomeu” reparei que a rampa de acesso ao estacionamento estava aberta. Num ápice entrei de bicicleta para dentro do empreendimento para me refugiar do sol intenso, descansar um pouco e tirar umas fotografias. Pouco depois apareceram dois vigilantes do empreendimento a perguntar o que eu estava a fazer ali. Respondi dizendo que não era um intruso e que estava só a tirar umas fotografias. No seguimento da conversa fiquei a saber que já há gente a morar nos Jardins de S. Bartolomeu e que pelo menos um dos espaços comerciais já está em obras.

Photobucket - Video and Image Hosting
Jardins de S. Bartolomeu, 4 de Junho de 2006

Pelos vistos as licenças de habitação podem ser passadas antes da conclusão dos arranjos exteriores. Com esta manobra a SGAL consegue cumprir os prazos!

10 comentários:

João Baptista disse...

Boas!

A ser verdade isso é uma 'bomba'!

Pode dar mais pormenores da conversa?

Obrigado,
JB

Pedro Veiga disse...

Apenas falei com um dos vigilantes. Sei que se trata apenas de um andar. Ele também me disse que já estava tudo operacional no que refere às ligações de gás, luz, et. De qualquer forma aconselho a todos os interessados a entrarem em contacto com a SGAL.

tuBo em cima disse...

alguem já confirmou junto da sgal esta info? ainda ha bem pouco tempo (maximo 15 dias) liguei para lá e eles disseram-me que se confirmavam as primeiras escrituras para julho, sendo que me disseram que a grande maioria devia ser mesmo só em setembro

Catarina & Bernardo disse...

São 23:31 da noite. Acabámos de passar à frente do empreendimento e confirma-se. Há luz e pessoas num dos apartamentos e de cá de baixo é possível ver que estão em arrumações e com móveis lá em casa!
É no bloco D1.
Pelos vistos já é possível "viver" nos jardins com ou sem licença de utilização!Só é pena é que seja só para alguns!

Catarina

Sérgio disse...

Parece-me recomendável alguma cautela. Embora não pretenda ignorar os indícios, acho conveniente a obtenção de uma confirmação pela SGAL.
É que, pelo estado das obras, é duvidoso que tenham sido passadas as licenças de utilização. Como estas são mandatórias, a confirmar-se esta situação, a SGAL estaria a incorrer numa situação irregular. Por outro lado, a SGAL estaria a passar-se um atestado de ingenuidade (para ser brando) ao permitir a ocupação de qualquer fracção antes de iniciado o processo de escrituração, não só porque estaria a perder dinheiro (sem escritura não há pagamento) como também porque estaria a criar atritos agravados e inconsequentes com os futuros moradores, os quais, sendo reconhecidamente pacientes, nunca permitiriam tratamentos tão escandalosamente diferenciados.
Quero acreditar que tudo não passa de um equívoco, como certamente a SGAL irá confirmar em resposta ao mail de esclarecimento que lhe vou enviar em sequência e que sugiro enviem também.
A não ser...

Pedro Veiga disse...

Não sei se é uma situação regular ou irregular. O que é certo é que quando lá estive foi o próprio porteiro que falou sobre este assunto de livre vontade. Eu não lhe perguntei nada directamente. O que achei estranho foi haver gente sem os arranjos exteriores estarem terminados.

Ricardo Soares disse...

No Evolution aconteceu o mesmo: Os compradores que "souberam" pressionar o construtor alegando que se tinham comprometido a abandonar as casas actuais na data em que deveriam ocupar as novas e que estavam em condições de ir para à rua conseguiram habitar os apartamentos antes das escrituras. Precariamente, uma vez que estavam impedidos de fazer os contratos de água, luz e gás.

joana disse...

Não estão impedidos de fazer esses contratos. Para contratar água, luz e gás basta o contrato de promessa de compra e venda. Acho é que é preciso alguma papelada como as licenças de habitação e o certificado da CERTIEL, para o caso da luz. Mas não a escritura.

Catarina & Bernardo disse...

Uma coisa é certa, pode não ser aquilo que parece mas o facto de um dos apartamentos estar "ocupado" (estando ou não já habitado)acho que merece uma explicação. Convincente ou não, satisfatória ou não, ela tem que existir. Se eu não tivesse visto ainda ficaria na dúvida, mas vi luz, pessoas e "coisas" num empreendimento totalmente às "escuras" e a aguardar pelos seus habitantes supostamente só a a partir de Julho. Até lá aguardamos cautelosa e pacientemente. Pode ser que a Sgal nos surpreenda...pela positiva
Catarina

Pedro Veiga disse...

Espero bem que se cumpra todos os prazos. Como moro ao lado, sinto bem o efeito de viver numa "ilha" habitacional. Espero que o quarteirão dos Jardins quebre um pouco mais este isolamento. Vamos esperar pelo Outono e logo se verá.

Outra nota: A transparência dos andares é tal que é fácil ver quais os que estão ocupados...