terça-feira, 30 de maio de 2006

Condomínio abandalhado

Photobucket - Video and Image Hosting
Colina de S. Gonçalo, Maio de 2006


“Ainda a procissão vai no adro
e já a zaragata é do ébrio
ainda a discussão vai no híbrido
e já a certidão é do óbito
de subito
um punhal
e ei-lo que cai em
decúbito
dorsal
pobre instante, pobre morte
esse rapaz nunca teve grande sorte
não faz mal, não faz mal
pelo menos vem no jornal
pelo menos vem no jornal
pelo menos vem no jornal”

Sérgio Godinho (Notícias locais) in escritor de canções


Ainda não faz um ano que a gestão do condomínio foi entregue pela imobiliária a uma empresa especializada.
Apenas uns meses de gestão e a confusão já é total: há falta de limpeza, os sistemas anti-incêndio não funcionam, as portas encravam, as luzes apagam-se, os telefones dos elevadores não funcionam, as reparações são mal feitas e nunca são terminadas, os extintores estão fora de prazo, os vidros partidos não são substituídos, … enfim, é o caos!
Chegou a hora da mudança. Se o lote vizinho conseguiu mudar nós também conseguiremos. Vamos a isso, arregacemos as mangas!

12 comentários:

joana disse...

Pedro,

Não te quero desanimar. Não é uma questão de conseguir mudar, é uma questão de QUERER mudar, percebes?

O meu lote vizinho do lado quis (e por isso consegiu) mudar. Estão muito bem geridos, corre tudo sobre rodas. Podes perguntar até a quem votou contra.

O meu lote mudou em teoria, mas na prática... vou dar o benefício da dúvida. Para mim mudámos para mais do mesmo, mas gostaria muito, mesmo muito que chegasse ao fim do ano convencida de estar agora enganada!

E para veres até onde vai a falta de querer mudar, o meu lote vizinho da frente, que apresenta todo o tipo de problemas que descreves para o teu prédio, NÃO QUIS mudar. Elegeram exactamente a mesma empresa, ontem. Nem sequer é mais de (aparentemente) o mesmo. É mesmo, mesmo, o mesmo!

Desejo-te vizinhos lúcidos.

Pedro Veiga disse...

Joana,
É triste. Pelo que sei a gestão destas empresas envolve muitos oportunismos. Incomoda-me saber que há quem durma descansado sabendo que não tem, por exemplo, a protecção contra incêndios a funcionar.
Por isso temos que agarrar a possiblidade de mudança, mesmo que isso implique algum sacrifício de tempo.

Rodrigo Bastos disse...

Eu cá já nem sei o que dizer (Sou o do prédio ao lado da joana que teve uma AG ontem)...Estamos em democracia, a decisão da AG é soberana e agora temos é que nos encaixar na realidade e tentar participar positivamente no condomínio para tentar que as coisas funcionem o melhor possível.

O teu último paragrafo é mel para alguns e vinagre para outros (independentemente das razões associadas)...Espero que tenhas muitos "gulosos" entre os teus vizinhos. Força nisso :)

Tiago disse...

Estamos em Democracia mas as pessoas preferem pagar para ser geridas do que partilhar esforços e defender melhor as suas coisas.

Claro que num prédio destas dimensões é complicado haver um sistema de rotatividade como nos prédios mais pequenos e por isso a gestão da administração do condominio implica maior dispêndio de tempo. Mas daí a pagar a uma empresa com provas dadas da sua incompetência parece-me um auto-atestado de estupidez.

Estes condomínios movimentam mais dinheiro que muitas Juntas de Freguesia por esse país fora e este negócio das empresas de administração de condomínio está a florescer e a aproveitar-se da inércia cívica das pessoas. Pagar para ter vidro partidos, lâmpadas fundidas, elevadores avariados e extintores fora de prazo é estranho.

Qualquer dia temos de analisar o case study do bloco do Condomínio da Torre que está a ser administrado pelos próprios moradores com resultados assinaláveis. Para ver se alguém aprende alguma coisa com isto.

Ana Louro disse...

Coragem e determinação! Passámos pelo mesmo aqui, mas como a Joana diz, quisémos mudar e hoje corre tudo bem (mesmo que corra algo memos bem parece tudo óptimo, dado o passado).

Mario disse...

Geralmente não intervenho no vosso weblog, mas como estamos em processo de escolha de uma empresa de gerência de condomínio e por não querer ser enganado, gostava de saber (pode ser por mail) quais as empresas que já deram provas de não ser de confiança.
Quanto à questão de serem os condóminos a gerir, fica mais barato efectivamente, mas nenhum de nós tem tempo para isso. O argumento cívico é muito bom, mas eu prefiro pagar para me resolverem essas questões burocráticas. É claro que só me interessa uma empresa que cumpra o que promete.

retorta (at) retorta . net

Pedro Veiga disse...

A empresa é a experihotel que já chamamos de "espertahotel". Segundo informações ouvidas na reunião andam a renovar os seus escritórios à custa dos parvos que pagam elevadas mensalidades do condomínio.

Mario disse...

Obrigado, essa não é uma das que pedi orçamento!

Ana Louro disse...

A nossa era (sublinho era) a PM3L (até rima com essa), que nos foi imposta (escolhida) pela SGAL. Como é publicidade contra ... Se quiserem também posso referir a actual (estamos bastante satisfeitos).

Rodrigo Bastos disse...

Do meu lado infelizmente só posso dar exemplos negativos: Heimat/Omniumgeste

Pedro Veiga disse...

Qual é a actual, Ana? Se funciona bem gostaria de saber.

Ana Louro disse...

SoftElite (Fanqueiro/Loures)