sábado, 29 de outubro de 2005

Pequeno avanço na Santos e Castro




Como referiu o Pedro no post anterior, a avenida Santos e Castro é urgente para a resolução dos problemas de tráfego excessivo que afectam já a população residente no Alto do Lumiar.

Prevista a conclusão para Dezembro de 2004, os atrasos têm sido sucessivos e só agora foi posta a primeira camada de alcatrão em metade do troço que vai das Calvanas ao terminal da Carris na Musgueira.

9 comentários:

João Baptista disse...

Boa Tiago ! e mais fotos, há ?

Como lá esteve, parece-lhe que aquela largura permite mesmo 3 faixas para cada lado e berma (conforme publicitado) ?

Ao menos já se parece com qualquer coisa ...

Realmente a publicidade pode ser muito enganadora ... "Este local será assim em Dez. 2004" - diziam eles nos outdoors ... lembro-me eu de pensar "será que eles se enganaram no ano ?" - bom, pelo menos se fosse realmente em Dez.2005 já não era mau...

Rodrigo Bastos disse...

Uma das dependências da Av. Santos e Castro é a demolição do Bairro das Calvanas. O inicio da demolição estava dependente de um acordo entre a Associação de Moradores do Bairro das Calvanas e a CML para construção de novas habitações que ainda não estão terminadas.

Demolição da primeira Casa no Bairro das Calvanas

Nem tudo é culpa da SGAL :)

Rodrigo Bastos disse...

Vejam também este link:

Plano de Urbanização do Alto do Lumiar avança

e este:

CML vai demolir bairro de São João de Brito e das Calvanas

Pedro disse...

Ainda não percebi quais foram as medidas usadas pela SGAL para concluir que esta avenida será mais larga que a avenida da Liberdade

Tiago disse...

João, não é necessário colocar mais fotografias porque a extensão de alcatroado não é muito maior do que a visível nesta foto, e o resto da Santos e Castro está praticamente no mesmo estado em que estava quando lá fui da última vez. Podes ver essas fotografias aqui.

Estou como tu, espero que o engano no cartaz publicitário tenha apenas sido no ano. E já agora que a versão correcta seja 2005.

Tiago disse...

Rodrigo,

não sei se a construção da Santos e Castro é da responsabilidade da SGAL. Por acaso pensada que era da UPAL, mas não tenho a certeza.

O que tenho a certeza é que as novas casas dos moradores das Calvanas são da responsabilidade da SGAL, e, a acreditar no primeiro link que colocaste, a coclusão dessa obra estava prevista para Setembro de 2005.

"O prazo de execução pela SGAL dos fogos destinados ao realojamento do Bairro das Calvanas é de 18 (dezoito) meses, estimando-se a sua conclusão em Setembro de 2005"

Tiago disse...

Pedro,

a avenida que a SGAL diz ser mais larga que a Av. da Liberdade não é a Santos e Castro, que será unicamente de uso automóvel. O Eixo Central é que dizem ter 70 metros de largura, mas ainda falta algum tempo para a construção.

Pedro Veiga disse...

A SGAL tem parte da culpa ao anunciar prazos que nunca cumpre. Mas meus caros vizinhos quando o nó da Ameixoeira do eixo norte-sul abrir nunca mais ninguém circulará nas horas de ponta na Avenida Kruz Abecassis!

António Gouveia disse...

Esfectivamente é preciso concluir esta via antes de se fechar o Eixo Norte Sul. A CML tem que resolver os diferendos com os proprietários dos terrenos que falta expropriar. Aqui e também com aqueles que ficam no fim da Estrada da Torre.