segunda-feira, 17 de outubro de 2005

Abrigos das paragens de autocarros - resposta do Provedor do Cliente da Carris

Chegou agora mesmo a resposta, não adiantando quase nada em relação ao que sabíamos anteriormente. Será que daqui a seis meses teremos de voltar a enviar os mesmo emails para lermos depois as mesmas respostas? A solução está na UPAL, definitivamente. É urgente um contacto estreito com as entidades promotoras do Alto do Lumiar para que estas saibam quais as prioridades e anseios dos moradores.

Aqui fica a resposta do Provedor:


Exmo. Senhor

Considerando o teor do e-mail que nos enviou, o qual agradecemos, esclarecemos que a montagem dos abrigos é da responsabilidade da Câmara Municipal através dos seus concessionários.

Contudo, a rede viária no Alto do Lumiar não está ainda estabilizada, havendo vias ainda provisórias, pelo que os percursos das nossas carreiras actualmente efectuados não são ainda definitivos. Por outro lado, em alguns locais nem existem passeios em condições de permitir a instalação dos abrigos.

Entretanto, a Carris e a Unidade de Projecto do Alto do Lumiar da C.M.L. vêm mantendo contactos no sentido de definir as localizações definitivas de paragens para aí serem instalados rapidamente os respectivos abrigos. Este processo irá sendo utilizado conforme o desenvolvimento viário da área.

Por último, devemos anotar que é do interesse da Carris e da Autarquia proporcionar as melhores condições de estadia e segurança nas paragens do transporte público.

Na expectativa de o termos esclarecido, apresentamos os melhores cumprimentos.

O Provedor do Cliente
[assinatura legível]

3 comentários:

Pedro Veiga disse...

O povo bem pode esperar mais uma década! Pelo andar da carruagem lá para 2010 teremos abrigos e ruas decentes com passeios seguros. Até lá é pó, lama e trânsito caótico nas horas de ponta. Já tenho saudades da civilização do bairro suburbano onde vivia!

ana disse...

Pedro nao desanimes.
mudancas sao sempre dificeis.
coragem.
a resposta e esclarecedora e as obras sempre estao a avancar.
devagar, bem sei!
um abraco

Ana Louro disse...

Espero que não tenhamos de esperar até 2010 mas para isso teremos certamente que nos unir e insistir nas exigências, pois começa a ser inadmissível que as vias como a Santos e Castro, que devia desviar o trânsito que não é de moradores, já estivesse concluída em Dezembro do ano passado. Parece-me que por exemplo as passadeiras existem nas vias de um mesmo empreendimento mas não nas vias de atravessamento entre as várias Malhas e de facto os peões não têm espaço nem condições de segurança e conforto para se deslocarem em muitos locais. O acesso pedestre ao Parque das Conchas, principalmente com crianças, é uma perigosa "aventura"...