quinta-feira, 7 de julho de 2005

Dar o devido valor aos Arquitectos

Descobri pelo Pedro Veiga que em Portugal não é preciso ser arquitecto para assinar um projecto de arquitectura. Um decreto-lei de 1973, aprovado quando em Portugal apenas existiam 500 arquitectos, permite esta possibilidade de ouro para qualquer "pato bravo" erguer o seu mamarracho ao lado de um qualquer prémio Valmor, ou construir uma casa de banho do avesso no campo.
A leitura de um texto do Daniel Carrapa, n'a barriga de um arquitecto, é um excelente aperitivo para depois irmos ao Forum Alta de Lisboa contribuir com o abaixo-assinado promovido pela Ordem dos Arquitectos para que a Assembleia da República altere o tal decreto-lei responsável, para além de inúmeros crimes urbanísticos, pela existência de tanto desemprego e trabalho precário nos actuais 10000 arquitectos formados em Portugal.
Pode dar algum trabalho, mas vale a pena fazer algoque possa melhorar "as coisas".

1 comentário:

Zé disse...

Amigo, há para aí tanta aberração feita por arquitectos... Não é por se ser arquitecto que se tem melhor gosto.
Não defendo os patos bravos e os seus mamarrachos, mas ainda falta muito para considerar os arquitectos artistas...


Alta do Lumiar