sábado, 13 de dezembro de 2008

Vai ou não haver Metro na Alta de Lisboa?

O cidadão Luís Magalhães, morador na Alta de Lisboa e amigo aqui do Viver, enviou-nos por mail um alerta a todos os moradores.

As mais recentes declarações de Joaquim Reis, presidente do ML, podem indiciar um abandono dos planos antigos da passagem da linha vermelha pela Alta de Lisboa.

Citando o Diário Económico:
Sobre o cruzamento da linha Amarela com as linhas Vermelha e Verde no Campo Grande, Joaquim Reis destaca que se “pretende fazer ali um interface das três linhas”.

(imagem não oficial editada)

O que podem os moradores da Alta de Lisboa fazer?
Encolher os ombros e suspirar.
Tentar pressionar os poderes decisórios para que os planos da estação de Metro na Alta e Lisboa sejam cumpridos (independentemente da ligação final da linha vermelha).

O leitor Luís Magalhães escolheu a segunda. Talvez se cada um de nós fizer o mesmo seja mais fácil.



----- Mensagem encaminhada de Luís Magalhães -----
Data: Tue, 02 Dec 2008 12:42:54 +0000
De: Luís Magalhães
Assunto: Fwd: Nova fase de expansão do Metro de Lisboa - Urgente reflexão
Para: gab.presidente@cm-lisboa.pt, gab.manuel.salgado@cm-lisboa.pt, gab.vice.presidente@cm-lisboa.pt, gab.lcc@cm-lisboa.pt, gab.psd@cm-lisboa.pt, gab.cpl@cm-lisboa.pt, gab.pcp@cm-lisboa.pt, aml@cm-lisboa.pt

Ex mas. Senhoras e Ex mos. Senhores autarcas de Lisboa,

Envio a V. Excelências cópia da minha mensagem evidenciando preocupação sobre notícia vinda a público sobre a nova fase de expansão do Metropolitano de Lisboa, enviada para os gabinetes do Ministério das Obras Públicas e da Secretaria de Estado dos Transportes.

Agradeço a vossa atenção, uma vez que sois intervenientes no estudo prévio destas grandes obras.

Atenciosamente
Luís Magalhães

----- Mensagem encaminhada de Luís Magalhães -----
Data: Thu, 27 Nov 2008 23:32:04 +0000
De: Luís Magalhães
Assunto: Nova fase de expansão do Metro de Lisboa - Urgente reflexão
Para: gset@moptc.gov.pt
Para: gmoptc@moptc.gov.pt


Ex ma. Senhora Secretária de Estado dos Transportes,

De acordo com as notícias vindas a público sobre o estudo da nova fase de expansão do Metro de Lisboa, não posso deixar de expressar a minha preocupação com a afirmação do Senhor Presidente do Metropolitano de Lisboa. Passo a transcrever parte da notícia publicada no Diário Económico:

"Sobre o cruzamento da linha Amarela com as linhas Vermelha e Verde no Campo Grande, Joaquim Reis destaca que se "pretende fazer ali um interface das três linhas"."

Se acontecer o que a noticia revela, a nova fase de expansão do Metro deixa de fora o maior bairro de Lisboa, diria mesmo, o maior bairro do país, a Alta de Lisboa. O interface das três linhas de metro no Campo Grande, se for feita com ligação directa da linha vermelha a partir da futura estação do aeroporto da Portela, deixa cair o antigo projecto de estação no eixo central da Alta de Lisboa, tão só a 5ª avenida do eixo principal da capital, e que serviria potencialmente os mais de 30 mil moradores do bairro. Estima-se que entre 2015 e 2020 habitem no bairro mais de 60 mil pessoas e lá trabalhem mais de 9 mil.

A solução pensada agora desmonta também a estratégia de fazer da linha vermelha uma circular limítrofe do concelho, que ligaria às restantes linhas na coroa mais afastada da cidade e proporcionaria uma ligação rápida entre as duas zonas mais populosas da cidade, Alta de Lisboa/Lumiar a Benfica/Colégio Militar.

A solução que aponto não é nova. Há anos que é referida:

- em 2008, no estudo de impacte ambiental do troço da linha vermelha para Campolide;

- em 2006, pela Câmara Municipal de Lisboa, na proposta de revisão do PDM;

- em 2004, na intervenção do Ministro das Obras Públicas, na inauguração da extensão Pontinha-Falagueira do Metropolitano de Lisboa, da qual passo a transcrever parte: "Linha Vermelha será, ainda, a que vai receber maiores ampliações.


Deste modo:

- foram já concluídos os estudos e será brevemente apresentada a candidatura ao Fundo de Coesão para o seu prolongamento entre a Gare do Oriente e o Aeroporto da Portela (os concursos internacionais serão lançados no 4º trimestre deste ano), prevendo-se a conclusão da obra no final de 2007;

- está já em estudo a ligação entre a estação do Lumiar e a futura estação do Aeroporto, que a partir de 2009 irá servir a zona da Alta de Lisboa e estabelecer correspondência com a Linha Amarela e foi já analisada uma possível ligação a Sacavém;

- foram também já dadas instruções ao Metropolitano de Lisboa para estudar as opções de extensão a partir do Lumiar, levando em conta as orientações decorrentes dos estudos de reestruturação do Sistema de Transportes da Área Metropolitana de Lisboa, recentemente realizados.

Deste modo, a Linha Vermelha constituir-se-á numa dupla circular que, com as outras linhas radiais, se constituirá numa verdadeira rede, melhorando significativamente a cobertura da área urbana de Lisboa e a conexão entre as linhas, permitindo percursos mais racionais.";

- em 1998, no Plano de Urbanização do Alto do Lumiar (Quadro n.º 3 da Resolução do Conselho de Ministros n.º 126/98)

Seguem em anexo comprovativos destas referências.

Espero que esta reflexão contribua para uma solução sensata do vosso grupo de trabalho.

Atenciosamente
Luís Magalhães

6 comentários:

Pedro Veiga disse...

É impressionante a ligeireza com que o metro encara a sua expansão!
Na cabeça destes cérebros iluminados do ML não passa a ideia de que é nos bairros mais afastados do centro que o metro é mais necessário! Todo o anel norte de Lisboa, desde o bairro da Expo norte, passando pela Alta de Lisboa, Paço do Lumiar e até Benfica é de onde parte o maior fluxo de automóveis em direcção ao centro de Lisboa. Mas para o ML estes bairros são considerados periféricos e portanto não merecem este tipo de transporte. A confirmar esta ideia basta ver a política de redução da frequência de passagem de comboios nos dias úteis entre as horas de ponta da manhã e da tarde. A linha amarela só é muito frequente até ao Campo Grande e a azul só até ao Colégio Militar/Luz. Assim, um passageiro que viaje às 11 horas da manhã de um dia útil chega a ter que esperar por um comboio mais de 10 minutos (às vezes quase 15 minutos) se tiver o azar que utilizar um estação externa ao anel interior da cidade definido pelo ML. Outra coisa: sabem há quantos meses estão avariadas as escadas rolantes da estação da Ameixoeira? Há vários! Isso eu garanto como utilizador diário daquela estação! Tudo isto mostra o desprezo pelo cidadão que o ML tem! Já escrevi para lá e nunca tive resposta! Haja paciência!

Anónimo disse...

mas não há elevadores?

JRui disse...

Não percebi.
A construção do interface das 3 linhas no Campo Grande - para além de tornar aquela zona ainda mais caótica para o trânsito matinal para quem sai da Alta de Lisboa por aquele lado - compromete a expansão do metropolitano para a Alta de Lisboa?
Poder-se-ão pedir esclarecimentos?
À SGAL? À CML? Ao Metropolitano de Lisboa?

Tiago disse...

Não há certeza de nada, caro JRui. As declarações do Presidente do Metropolitano podem indicar que o projecto da estação da Alta de Lisboa foi abandonado, ou, pelo contrário, que a Estação da Alta de Lisboa vai ter ligação directa ao Campo Grande, o que até seria uma vantagem para nós, moradores.


Pode pedir-se esclarecimentos, sim.

Estão aqui os emails, para quem quiser:

CML
gab.presidente@cm-lisboa.pt, gab.manuel.salgado@cm-lisboa.pt, gab.vice.presidente@cm-lisboa.pt, gab.lcc@cm-lisboa.pt, gab.psd@cm-lisboa.pt, gab.cpl@cm-lisboa.pt, gab.pcp@cm-lisboa.pt, aml@cm-lisboa.pt

SGAL
geral@altadelisboa.com

METROPOLITANO DE LISBOA
http://www.metrolisboa.pt/Default.aspx?tabid=153

Luís magalhães disse...

Parece que as bolas de natal despertaram mais interesse na audiência do viver do que a possibilidade de não haver metro na alta.

Mr. Steed disse...

Ora aí está uma provocação com piada ó Luís.