domingo, 30 de novembro de 2008

Parque Oeste, não eram 15 meses?

Pelo menos é o que está escrito no placard de aviso à entrada do estaleiro, como prazo para a conclusão da obra. Ora, se a 3ª fase do Parque Oeste começou no início de Maio de 2007, mais 15 meses, dá qualquer coisa como Julho de 2008. Já estamos no último dia de Novembro e ainda falta muito para acabar, como se vê pela fotografia acima, tirada este mês.

Não há azar, a gente espera. Mas para além de todo o optimismo e positivismo que tanta gente gosta de ver, é bom que não nos esqueçamos dos prazos, das expectativas constantemente goradas, que viemos todos viver para a Alta de Lisboa com promessas de avenidas, acessos, jardins, centros comerciais, escritórios, integração, tudo já para muito breve e que muitas das coisas previstas estão completamente paradas e as que andam, andam devagar, mais devagar do que previsto e prometido.

E ter esperança e lutar pelo que é devido não é olhar de forma pateta para as coisas e achar tudo o máximo porque "assim é que estamos a ser positivos"; é saber exigir, saber a quem exigir, saber dar um pouco de de si para construir, colaborar, querer crescer em comunidade.

19 comentários:

Anónimo disse...

Meu caro,
para quem construir comunidades,
você é muito bom a pôr grãos na engrenagem.
Quanto ao Parque Oeste é o máximo e sim está a avançar.
Quantas vezes o utiliza por mês?

Pedro disse...

Pois é, Tiago, a culpa dos atrasos da SGAL é toda tua. (Já agora, a culpa dos incumprimentos da CML deve ser minha que também ponho grãos na engrenagem).

Viajar até ao Porto de burro também é o máximo. Desde que não se tenha apanhado o transporte com promessas de fazer a A1 em três horas.

Tiago disse...

É, Pedro. É o costume, os Domingos são assim...

Mr. Steed disse...

Meu caro,

Porque é que este texto põe grãos na engrenagem?

Pedro Veiga disse...

Devagar, devagarinho pode ser que se chegue lá...
Quando a crise acabar pode ser que os andares se vendam um pouco melhor contribuindo para a execução deste projecto urbanístico.
O eixo central é fundamental, mas também é importante acabar de vez as obras que estão em curso como é o caso do empreendimento Lisboa condomínio. A imagem de projectos inacabados não é boa promotora da zona!
Depois falta ainda tudo o que está prometido papel para que um dia a qualidade de vida desta zona seja tão elevada quanto elevado é o valor do IMI!

JRui disse...

Construir comunidades?
É que da forma como tudo se atrasa é perfeitamente legitimo que os moradores estejam cansados e desiludidos não acha?
Quando fala em "grãos na engrenagem", acredite que não foi ainda usado um único "grão legal" para obrigar ao cumprimento atempado dos projectos.
Quer vir ver como é que saímos aqui do bairro às 07.30h em direcção ao aeroporto?
Sabe qual é o atraso?
Sabe quem é que passa mal diáriamente?
Quem meteu "grão" ali?

Anónimo disse...

realmente,só quem vive cá na zona é que sabe os tormentos diarios que passamos,desde as filas interminaveis de carros,as estradas com buracos e curvas contra curvas,quando chove é os lagos que se apanha e as derrapagens que se fazem por causa das chuvas,e para mal dos nossos pecados só temos uma via para cada lado,se ja demoravamos assim entao nem vale a pena sair de casa,é normal que estejamos todos saturados das péssimas condiçoes que temos á nossa disposiçao,das promessas vãs que nos sao feitas e os dias vao passando,as coisas vao-se fazendo devagarinho(muito devagarinho mesmo)mas o que é certo é que a nossa paciencia nem sempre é de santo,pois se pagamos e bem desde imis e etc.,onde esta tudo o que nos prometeram???

Anónimo disse...

Bom dia. De facto o Tiago tem boa memória e sabe fazer contas. Mas já repararam na chico-espertice destas placas de obras? Indicam o prazo de execução mas não indicam a data de início. Assim é fácil... O passeio pedonal tem um prazo de 6 meses. Já lá está a placa há mais de 1 ano e daqui a 1 ano já ninguém se lembra de quando é que ela foi colocada, a não ser talvez o Tiago e mais algumas boas almas como ele. Devia ser obrigatória a indicação precisa das datas.
Quanto ao P.O. é preciso mais um bocado de paciência e não aliviar a pressão sobre a CML e sobre a SGAL. Eu por mim estou à espera que venham pôr as árvores que faltam no Parque e na Avenida K A, conforme me prometeram. Se passar deste Inverno, vou lá eu pô-las.

Anónimo disse...

O IMI dá vontade de o ir pagar directamente ao Dr. António Costa, em moedas de um cêntimo!
Se tivessemos vida para isso, iamos todos à tesouraria com sacos cheios de moedas. Era capaz de ser giro!

Anónimo disse...

Quanto à Santos e Castro, esqueçam. Eles não pegam nisso antes de a CRIL estar pronta.

Anónimo disse...

...e ainda acreditam no Pai Natal????????????????

Volta Santana tás perdoado!!!!!!!!!!!

Mr. Steed disse...

Mas acreditar na competência do Santana Lopes não é o equivalente político de acreditar no Pai Natal????

Digo eu que de políticas e pais natais não percebo nada.

Anónimo disse...

Há quem acredite que o Santana Lopes é o Pai Natal da Alta. Tontos!

Anónimo disse...

A Alta não avança com Santanas ou Pais Natal. Avança se todos fizerem barulho pela impostura que compraram. Acham normal as filas de transito para sair daqui às 8 e meia?

Anónimo disse...

acho por isso vou a pé ou utilizo a carris ou o metro!

Anónimo disse...

Sou solidário com quem tem imensa dificuldade em sair da Alta.
No entanto, convem não confundir a "Alta" com a rua onde moram.
Eu moro na Alta há 4 anos e não tenho qualquer dificuldade nos acessos. De facto, para mim, até é um dos pontos fortes.

Tive a sorte de morar na "metade" da Alta que não tem problemas de acesso, que já não tem obras, que tem comercio local, que tem um parque espectacular, onde não me sinto inseguro, etc.

Espero que, o mais rapidamente possivel, vocês tb se possam sentir satisfeitos com o sitio onde escolheram morar.
Entretanto, é importante dizer que há quem esteja bastante satisfeito e que não trocaria a Alta pela maior parte dos sitios de Lisboa.

Miguel

Anónimo disse...

Eu moro no Páteo São João de Brito na "metade" da Alta que já está mais acabada, mesmo em frente ao terreno onde vão fazer o Centro Comercial do Tomás Taveira e levo cerca de 15 minutos chegar á 2ª circular (500 metros?). Acho que depende da hora a que se sai de casa, mas não é verdade que os acessos sejam bom.

Anónimo disse...

o melhor é sair mais cedo ou escolher outra alternativa... carris, táxi... bicicleta, mota, aRMando (umas vezes a pé outras andando)

Anónimo disse...

Eu tb moro no Pateo e tb acho que depende da hora e do sitio para onde pretende ir.

a classificação de "bom" tb depende da expectativa de cada um... para a bitola de Lisboa até esse acesso que refere é bom.
Julgo que os 15 mins serão exagerados, excepto em dias maus. qd faço esse caminho cerca das 9h demoro menos de 10 mins.

Mas a questão é que o facto de demorar mais do que isso a ir do campo grande para o saldanha em hora de ponta...não me leva a dizer que o acesso é mau.

Enfim, só pretendia partilhar que eu estou satisfeito com o meu "investimento".

Gostaria que estivesse tudo melhor, gostava de já nao ter um descampado em frente à porta, que a santos e castro estivesse acabada, etc...

Mas, hoje, se voltasse a decidir voltava a decidir morar onde moro.

Miguel