segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Lisboa Condomínio (2ª fase) - Obras paradas?

Tenho observado com alguma atenção a evolução da construção do empreendimento “Lisboa Condomínio”. Sem justificação aparente nota-se que a construção do segundo conjunto deste empreendimento encontra-se parada há cerca de 1 mês, tal como mostram as fotografias:

28 de Outubro de 2007:
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


25 de Novembro de 2007:
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


Ora, esta paragem na construção pode comprometer a qualidade do edifício uma vez que o aço do betão armado está a oxidar por contacto com a humidade atmosférica.
Qual será a razão para esta aparente pausa na construção? Dificuldades financeiras? Era bom que as entidades responsáveis explicassem o que se está a passar. Os futuros moradores têm o direito de ser informados.

11 comentários:

Anónimo disse...

Alguem sabe o que está planeado para a frente do Lisboa condominio até ao eixo N/S?

Anónimo disse...

Apartamentos de Luxo

Anónimo disse...

Apartamentos? Mas os lotes sao tao pequenos.

Anónimo disse...

Para a frente do LX Condomínio está projectado um conjunto de blocos de apartamentos de luxo. Se passar no stand de vendas pode ver na maquete que estão lá os blocos à frente do LX, no vídeo de apresentação da Alta também se vêm os blocos.

Anónimo disse...

Aqueles edificios são propriedade privada e o decurso das obras diz apenas respeito aos próprios. Alguém vais às V. empresas (se as tiverem) perguntar porque os computadores são velhos, ou questionar situações que só a V. diz respeito ? Parem de se meter na vida dos outros. Vocês não são nem mais nem menos que os milhares de portugueses que anualmente compram imóveis em Urbanizações construidas por privados e os V. direitos são apenas os decorrentes dessa aquisição. Como dizem os brasucas, "não se enxergam ?".

Anónimo disse...

Caro Anónimo das 13.41.
O facto dessa construção ser privada não releva para alguma desculpabilidade da má técnica de construção que já se verifica pela exposição das ferragens às intempéries, oxidando-as, logo podendo certamente comprometer a qualidade do comportamento da malha de ferro depois de estar dentro do betão.
Não lhe assiste qualquer razão.
Aliás só lhe ficaria bem apresentar no final da obra no Bilhete de identidade do edificio um apontamento do LNEC a garantir total ausência de comprometimento dos referidos materiais uma vez que existe suspeita, devido à sua exposição poder comprometer toda a estrutura.
Aceita fazê-lo?
É que quem não quer ser falado, não se mostra, mas se se mostra tem de correr os riscos.
Ou ignora que vivemos em liberdade e que o seu direito acaba onde começa o dos outros? Ou acha que não é uma preocupação lícita de quem vai comprar esse produto?
Parece-me claramente que quem não se enxerga é voçê, talvez por ser mais esperto que os outros não? Deve ser isso sim.
Esperto talvez mas olhe que a inteligência faz muita falta.

Anónimo disse...

"Vocês não são nem mais nem menos que os milhares de portugueses que anualmente compram imóveis em Urbanizações construidas por privados..." Excerto.

Pois é isto dói. Era bom que as coisas fossem como sempre.... Na Alta de Lisboa o consumidor tem questionado! E bem!!

Anónimo disse...

A mim parecem-me duas fotos tiradas no mesmo dia.

Anónimo disse...

Engraçado......
Agora que o viver se torna cada vez mais conhecido e talvez mais "incómodo" começam a surgir comentarios como o deste sr.... hum... Algo me diz que o comentário não terá sido colocado por um proprietário de um apartamento no Lx Lisboa, nem tão pouco por um qualquer "pobre zé" que como todos nós enfrenta dificuldades imensas para fazer os seus direitos serem respeitados caso tenha o azar de comprar um imóvel com defeito..

Enfim....o "status quo" nunca gosta de ser desafiado. Pois por mim este é um óptimo sinal de que o viver está a fazer um EXCELENTE trabalho! Parabéns e continuem!

Pedro disse...

Fiquem os promitentes compradores descansados que não é por permanecerem um mês ao ar que as armaduras perdem qualidades.

Pedro Veiga disse...

De facto foi exagero meu e reconheço que o betão armado não vai ficar mais fraco por estar exposto ao ar uns meses. Mas confesso que esta situação me preocupou dados os prazos prometidos para a finalização da obra.