quinta-feira, 11 de outubro de 2007

De Dei After


A sorte para eles é que estas coisas em Portugal são muito espuma dos dias, no dia seguinte já ninguém se lembra (na verdade, nem mesmo no momento em que são proferidas deixam muita impressão) dos números que foram atirados ao vento para justificar as opções. Melhor ainda, ninguém se apercebe de que os mesmos variam com o emissor, às vezes com a hora da emissão. Um ouvido mais atento ficará sem perceber se foi a citação que saiu mal ou se deveu a correcção à intervenção atempada de um assessor mais atento.

Uma volta rápida pela comunicação social dá-nos uma visão dos "números" do Eixo Norte-Sul. Eu ouviu o sr. ministro antes da chegada do chefe para a inauguração falar do 80.000 veículos que seriam desviados da 2ª Circular para o Eixo Norte-Sul. Tanto o Jornal de Notícias quanto o Expresso citam o presidente das Estradas de Portugal para afirmar que 22.500 (ou 22.000... apesar se ser uma citação há uma variação de 500 automóveis) serão desviados da mesma via.

O que justifica esta diferença? Será que o ministro pensava em termos de meia-semana? Ou será que foi o seu proverbial entusiasmo por estas questões (jámé! jámé!) que o levou a exagerar?


Mas exagero por exagero, citemos o valor anunciado para esta obra: 73,6 milhões de euros a que se acrescenta o valor (não divulgado) das expropriações a cargo da CML (terão sido pagas?) e, provavelmente, os arranjos exteriores e reconstruções (veremos se faziam parte desta empreitada). O que, convenhamos, é um balúrdio para 4,3 km de uma via que só vai retirar 20.000 carros por dia de... onde quer que eles estavam. E é um balúrdio suficiente para manter caladinhos os habitantes prejudicados pela implantação da coisa à frente de suas casas: não fizeram as Estradas de Portugal o especial favor de colocar tabiques de absorção sonora e asfalto especial?

Antes que a histeria habitual dos que não suportam dar dois passos na rua sem pegar no carrinho comprado com tanto esforço comece a inundar a caixa de comentários, deixem-me acrescentar que, aparentemente, não estou só na condenação deste elefante creme. Se os jornalistas não se enganaram a ouvir, até o insuspeito Presidente da Câmara se declarou embaraçado com esta via. De acordo com o Público, o presidente da Câmara de Lisboa considera que, apesar de essencial para a melhoria do trânsito, a conclusão do Eixo Norte-Sul pode gerar "efeitos perversos em matéria de circulação": o regresso dos congestionamentos à Segunda Circular, quando os automobilistas perceberem que ali se passou a circular melhor. "Para evitar isto é fundamental uma grande aposta na prioridade à alteração do modo de transporte individual para o transporte colectivo", observou António Costa.

Eu bem sei que é fácil falar depois do trabalho feito e que esta posição precisa dos factos para a tornar coerente. É um princípio, no entanto. E, aparentemente, uma mudança de paradigma no modo de gerir esta cidade.

NOTA FINAL - Esperemos que o último argumento adiantado por José Sócrates na resposta a António Costa (ser verdadeiramente chocante que esta obra tenha levado 20 anos a completar) não tenha sido a razão principal para a decisão de a terminar no presente. A ser assim, ainda veremos um dia destes o primeiro-ministro a inaugurar o boulevard previsto há 120 anos para ligar Santa Apolónia ao Castelo de S. Jorge. Isso é que seria um acontecimento digno de vulto senhor genheiro!


NOTA ADICIONAL - Afinal nem todos andam distraídos dos discursos oficiais. Aparentemente seduzidos pelo anúncio de que, a partir de agora, seria mais rápido chegar à A1 (e, consequentemente, à Ponte Vasco da Gama), alguns street racers já experimentaram esta madrugada a velocidade de ponta das suas máquinas no viaduto sobre o Lumiar. Diz quem acordou que o som do tunning se sobrepôs claramente à eficácia das barreiras sonoras.

21 comentários:

pedro sky disse...

73,6 Milhões de Euros foi o custo de todo o Eixo Norte-Sul.
A obra agora inaugurada custou 25 Milhões de Euros.

Pedro disse...

É o que dá os números nos jornais.

Anónimo disse...

Não posso deixar de dizer que benificei imenso com a abertura deste troço do Eixo N-S embora passe a algumas centenas de metros da minha casa. Mas tenho de dizer que foi tudo muito bonito mas quem é responsável pela obra esqueceu-se dos acessos à via-rápida, como por exemplo a estreitíssima estrada de S. Bartolomeu onde só passa um pesado de cada vez. E que ontem à tarde já estava a ameaçar engarrafar a rotunda da ameixoeira...

Luísa L

Pedro Veiga disse...

Só com o tempo é que se poderá fazer um balanço correcto da obra dos 4 km e tal. É preciso ver que as pessoas estão ainda numa fase de adaptação a novos percursos e a novas rotinas. Eu notei que o barulho de fundo aumentou. Quando abro a janela da minha cozinha ouço os carros mais pesados a circular pela estrada e ouço os sons dos pneus a passar pelas juntas de dilatação dos viadutos, apesar de morar a bastante mais de 500 m do eixo norte-sul. Na avenida que ladeia o meu prédio o trânsito de pesados aumentou muito porque faz ligação entre a Charneca e o nó da Ameixoeira do eixo. O perigo a atravessar as ruas é agora maior e por isso é bom começar a ter mais cuidado nas travessias.
Por outro lado o trânsito na rua Eduardo Covas, a caminho das Calvanas, parece ter diminuído significativamente, o que é um dado positivo. Vamos aguardar para fazer um balanço melhor.

Rui disse...

Eu sei como pensam os portugueses, é sempre aquela moral, desde que não esteja ao pé de mim... Eu neste momento moro na portela, e também construiram a ponte e os acessos, mesmo junto aos prédios onde se insere o meu, também oiço por vezes os tunnigs a passar á noite, mas não é por isso que vou fazer boicote e criticar a obra a todo o custo, mesmo que depois me dê muito jeitinho ter bons acessos perto de casa. Se forem morar longe de tudo e todos, vão ter sossego, mas também outros problemas. não se pode ter tudo. Para o próximo ano vou morar para o lx condominio, por isso tenho o eixo bem perto de mim, e não me importo nada, até acho que dá muito jeito. quanto aos moradores do lumiar que levaram com o viaduto mesmo junto aos seus prédios, realmente é mau, mas podem sempre mudar, é que se há mercado para os andares novos que estão a ser construidos junto ao mesmo, também haverá para esses. a vida é mesmo assim, umas vezes ganha-se, outras perde-se!

Anónimo disse...

Esta noite está um cheiro terrível a borracha queimada aqui na Colina de São Gonçalo. Será que vem do Eixo N-S? Não dá para ter as janelas abertas sequer...

Joaquina disse...

É.
O cheiro a borracha queimada vem do Eixo Norte Sul.....
Há cada um!!!

Anónimo disse...

Também,já notei esse cheiro (ontem e hoje).Pareca-me mais cheiro a asfalto novo...
Quanto ao Rui, que vem morar para o Lx Condomínio, desejo-lhe sorte.A zona envolvente é muito "estranha"...

Cininha disse...

Recordo que a 'inauguração' diz apenas respeito ao asfalto... Toda a área circundante continua em obras, nomeadamente a zona imediatamente por baixo do eixo e acessos, incluindo o mercado do Lumiar, apenas para citar alguns. Portanto, no que me diz respeito, a obra ainda não está terminada.
Entretanto, é necessário dar tempo ao tempo, ou seja, verificar as mudanças ocorridas no tráfego. O certo, é que as filas deixaram de se formar nuns locais para se formarem noutros um pouco mais adiante... Agora faltam mais umas quantas obras para esses novos 'funis'...

Anónimo disse...

Então os automobilistas não optaram ainda pela Via N-S e continuam a utilizar a 2.ª circular, APESAR DE ALI FICAREM EM "BICHA"!

Então só posso concluir que a Via N-S, com as suas três vias em cada sentido, ainda tem poucos utilizadores e aguarda ainda que os automobilistas cheguem à conclusão que sempre é melhor aproveitar a alternativa do que teimar em ir pela 2.ª Circular.

Disse:

Zé da Burra o Alentejano

Anónimo disse...

A explicação vem já a suguir noutro blogue há alguém que diz e muito bem: "o facto da Via N-S terminar apenas com uma fila de trânsito na ligação há CRIL em direcção à A1 provoca também "bichas".

Assim, haveria talvez que fazer-se mais um esforço e aumentar para 2 as filas de ligação nesse sentido!

Zé da Burra o Alentejano

Anónimo disse...

Só queria deixar a seguinte mensagem, sem ironias ou hipocrisias: cada vez gosto mais de viver na nossa Alta de Lisboa! Com o Eixo N/S estou no centro da Cidade, desde a garagem de casa, em 5 minutos. Repito, 5 minutos! Tenho uma casa nova, bem estruturada, com acabamentos de qualidade muito acima da média de mercado, estacionamento, arrecadação, um parque verde para desfrutar e um bairro ordenado em crescimento. Pergunto, o que é que querem mais? Já ia sendo altura de se amenizarem as críticas (muitas vezes, por razão nenhuma) e dar valor ao que temos, que é muito, valorizando o nosso investimento.

Anónimo disse...

anonimo das 12.42 estou consigo
a minha irma chegou ao Montijo 45 min mais cedo. A tempo de ir buscar o filho a escola e de poder estar mais tempo com ele.

a felicidade faz-se de pequenas alegrias

Anónimo disse...

Também acho que não podemos focar apenas as coisas negativas... isto é eu passei a entrar no eixo N/S no nó da ameixoeira e a ganhar 25 min por percurso trabalho/casa, ou seja por dia é quase uma hora. de Facto tenho notado nestes dias mais congestionamento no Eixo mas sempre vou andando, enquanto que a fila da azinhaga de SBartolomeu continua no mesmo sitio todos os dias.

A minha casa ficou sem dúvida valorizada com este acesso.

Não deixo de afirmar que o viaduto por cima do mercado do lumiar devia ter sido túnel, mas enfim... mais 20 anos se calhar era de mais...

Catarina

Diogo disse...

Não podia estar mais de acordo com os últimos comentário. Adoro o Eixo N-S!

Anónimo disse...

que traga mais gente para a Alta e fomente o fim das obras no Parque do Vale Grande (que nome mais redundante!), é o que desejo, para que a Alta seja vivida.
e todos andaremos mais a pé e de bicicleta ao fds em vez de pegar no carro e ir até aos jardins de belém e ccb, a poluir no vai-vem.

Pedro disse...

Repita lá mais uma vez, anónimo das 12:42, a ver se eu acredito: 5 minutos? Até ao centro da cidade?

À Baixa, à Av. da Liberdade?

A que horas da madrugada?

Com que carro?

Ou será que por centro quer dizer 2ª Circular, Santa Maria, Praça de Espanha, Alcântara - enfim, as saídas da N-S?

Olhe, cuidado com as velocidades e com as ilusões de óptica... e com os sinais vermelhos, sim?

Anónimo disse...

Assisti neste fim-de-semana a um movimento muito interessante de pessoas que saíam do Eixo NS e paravam à frente do Parque Oeste e ali ficavam por um pouco a passear.

Acho que nunca vi tanta gente a passear por ali (e isto incluindo o dia da inauguração).

Eu já usei o eixo e, ainda que não me sirva no meu percurso diário para o trabalho, notei 3 coisas:
1. permite-me chegar com alguma brevidade ao centro da cidade, à "zona saloia", bem como a qualquer das 2 pontes de Lisboa.
2. permite-me chegar mais depressa à 2ª circular, nomeadamente através do acesso das Calvanas, graças à redução de tráfego dentro da Alta.
3. Pelo menos neste fim-de-semana, detectei mais gente (que claramente vinha "explorar" esta zona da cidade) a andar de carro pelas ruas da Alta e a pararem nomeadamente junto do parque oeste.

A minha primeira impressão vem de encontro às minhas expectativas sobre o eixo NS:
Melhor acessibilidade, mais gente a circular pelas ruas, mas mais rebuliço e especialmente um pouco mais de poluição quer sonora (em especial durante a noite, mas nada de demasiado incomodativo) quer do ar.

Mas, como disse, não era nada de que não estivesse à espera. Bastaria olhar para os projectos já com alguns anos da zona da Alta e ver-se que este acesso viário já ali vinha contemplado.
É caso para se dizer: um já está, venham de lá outros projectos que estavam pensados prá Alta!

Anónimo disse...

Caro Pedro,
A queixa saiu daqui, ou seja, foi aqui que soube do problema.
Os Cidadãos por Lisboa apresentaram hoje a moção abaixo, na reunião da CML. Que foi aprovada por unanimidade. Esperemos que seja posta em prática. Dêem notícias.
Luisa

Moção

Street racing no novo troço do Eixo Norte-Sul

Considerando que:

Após a inauguração do último troço do Eixo Norte-Sul, no passado dia 10 de Outubro, começou já esta via a atrair os chamados “street racers”, especialmente na zona do viaduto sobre o Lumiar, sobrepondo-se o som das viaturas transformadas à eficácia das barreiras sonoras e provocando grande número de reclamações por parte dos moradores da zona;

Venho por este meio propor que:

A Câmara Municipal de Lisboa delibere, não só uma apertada fiscalização desta via por parte da PSP, como a instalação urgente de medidas de controlo e abrandamento de velocidade em permanência.

Lisboa, 12 de Outubro de 2007

Os Vereadores
“Cidadãos por Lisboa”


Manuel João Ramos

Anónimo disse...

Isto é que é velocidade de ponta de apresentação de propostas em consonancia com a N-S!
Mas não estou nada de acordo com as limitações à velocidade propostas para o troço! Assim como é que eu continuo a chegar em 5 minutos ao centro da cidade?

Anónimo disse...

Caro Anónimo,
Queria subscrever a mensagem subjacente ao post dos "5 minutos" - que tanto parece "incomodá-lo" (vá-se lá compreender a sua aflição...) - para dizer o seguinte:
Se são 5 minutos, ou 3, ou 8, depende das horas e dos dias, naturalmente. Se for de helicóptero tem o tempo garantido.
Se descer do Saldanha ao Marquês às 5 da tarde também demora meia hora a fazer a Fontes Pereira de Melo. Agora, parece inquestionável que, de manhã, em 2/3 minutos está em qualquer das saídas do Eixo Norte Sul do seu destino (Telheiras, Hospital de Santa Maria, Praça de Espanha, Sete Rios...).
E se for, à noite, ao cimema ao UCI, em 10 minutos está a comprar as pipocas. Mesmo que vá de Fiat Punto.