domingo, 30 de setembro de 2007

Esgoto entupido na Av. Sérgio Vieira de Mello

Este é já um assunto recorrente. Sempre que chove um pouco mais as canalizações do esgoto não aguentam o caudal e ficam entupidas.

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


Será da pobre argila do Miocénico que já aqui mora há uns bons milhões de anos?

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Certamente que não.

4 comentários:

nuno martins csg22a disse...

Isso acontecer em zonas antigas ainda se compreende, mas aqui? Pffff...

nuno martins csg22a disse...

PS: De certeza que isso é argila, Pedro? eheh

Pedro Veiga disse...

Creio que o problema é da dimensão do esgoto público. Este problema também afecta os pisos de estacionamento da CSG. Disso darei conta noutro post.
É argila, sem dúvida, palavra de geólogo! A fonte desta argila reside nas camadas sedimentares que constituem o monte de S. Gonçalo. Esta argila é pouco resistente à erosão e quando chove é facilmente arrastada dos pontos mais altos. Ontem era curioso observar o padrão dos sedimentos desenhado no chão pelo efeito da chuva abundante.

Pedro disse...

Se as cotas disponíveis tiverem motivado pendentes pequenas não terá sido possível aumentar o diâmetro das condutas dado que esse aumento iria implicar a diminuição da força de arrastamento dos esgotos. Por outro lado, condutas com pequenas pendentes são mais fáceis de assorear o que, face à situação que mencionaste, Pedro, do escorrimento das argilas para as ruas, deve ser o que acontece quando as chuvadas aumentam de intensidade.
Quero crer que é mais um caso de condicionantes prévias do que um mau dimensionamento do sistema.
E as condicionantes são um legado do planeamento urbanístico.

Ou então é um problema conjuntural que se resolverá rapidamente...