quinta-feira, 24 de maio de 2007

Transparência

(clicai na fotografia para a ver magnífica)

Se há promotores imobiliários que guardam para si muita da documentação de obra, vedando aos seus clientes, aos que compraram o produto, o conhecimento legítimo de como as suas casas foram construídas, que materiais foram realmente utilizados, existem outros, porém, que a entregam inserida no edifício.

Recebido por email e tido como em Portugal.

10 comentários:

Rodrigo Bastos disse...

Quem não deve não teme

Joana disse...

Mas agora, com o BI dos edifícios, não é obrigatório entregar toda essa documentação? Claro que é entregue depois da compra e não está para consulta antes... Mas é entregue, não é? Inclusive com os contactos dos locais onde os materiais foram adquiridos.

Anónimo disse...

Caro Tiago, obrigada pela resposta em queixinhas sobre os JSB.
Tentei enviar 3 post desde ontem que bloqueiam, provávelemnte é azelhice minha. Ai dizia que é muito bom entrar num blog com a espuma dos dias, evocador de Vian. Dizia tb que é bom ter acesso à informação desinteressada e participada, dado que são os habitantes que falam aqui.
Continuo a acreditar na relação qualidade preço, admita-se que da AL não temos vista para o Tejo e não estamos própriamente no centro da cidade, seja qual for a centralidade dos diferentes centros. Portanto isso tem que ser reflectido nos custos.
Finalmente dizia tb que este blog, pela lucidez e interesse dá vontade de ir viver para a Alta, porque particpa no processo de (re)criação de uma identidade do bairro, com os seus comentários e fotografias - parque, passeios pedonais - projectados, imaginários, existentes ou não -
E sim demorei cerca de uma hora para fazer aquele pequeno trajecto, é bem verdade.

nuno martins csg disse...

Tá giro mas é uma montagem.

Ninguém é assim tão idiota, convenhamos.

Pelo menos ningúem que saiba fazer os cálculos para fazer aquele desenho. Uma circunferência nuns degraus não é trolha qualquer com um martelo pneumatico que a faz... aquilo dá trabalho.

Quero (mesmo muito) acreditar que é treta.

Anónimo disse...

Nesta imagem não é explícito para toda a gente o que está mal, da mesma forma que um canteiro habilidoso poderá, perfeitamente, dar aquele tipo de acabamento à escada.
Eu acredito que isto seja verdade e acredito também que quem o fez, enquanto fazia, deve ter pensado diversas vezes "mas quem terá sido o maluco que se lembrou de fazer este desenho nos degraus?".
Para além disso, o patim da escada deveria terminar no traço abaixo do A6.10, tudo o resto está a mais (não é só a circunferência).

Anónimo disse...

Com o BI da casa entregam-se contactos e algumas plantas, mas nada de muito poermenor.
Analisar o caderno de encargos e os projectos é semre uma surpresa!!!

susana disse...

É certo que esta imagem é capaz de chocar muitos profissionais, principalmente porque cada vez menos têm menos garantias da capacidade intelectual do empreiteiro ou dos restantes colaboradores na mão de obra.

Além do patim, quem é que se vai lembrar de construir umas escadas com o espelho tão curto!?! Deve ser para uma creche!

Mas há que louvar tal ideia inovadora! Tenho para mim que este canteiro foi o percussor de uma "nouvelle vague"...

Anónimo disse...

Algumas verdades verdadeiras sobre quem defende (ou diz defender) a nossa cidade!

É pequena a diferença entre telhados de vidro...
É pequena a diferença entre reportar o que está mal e o apenas dizer mal...

Sejamos coerentes...
Mostrar o que está mal para corrigir...SIM!
Mas antes de mais acho que devemos AGIR para corrigir!



Transcrição do Blog: aquintacoluna.blogspot.com

(...)

O Sá anda há anos por aí. O seu rasto está pejado de idiotices e canalhices. O Sá é, evidentemente, o Fernandes. O do Túnel do Marquês, do Parque Mayer, da Feira Popular. Em boa verdade, e tirando o Túnel do Marquês, os outros assuntos não estão ainda resolvidos por causa dele.

Devemos-lhe tirar a cartola. Como é que um homem sozinho consegue trazer tanto prejuízo a uma cidade tão grande? Eu sei que a escola dele, a da Extrema Esquerda em que assenta o BE, é uma escola com tradição. É a enxovia em que assentam os ressabiados da revolução, os que nunca aceitaram a Democracia e a Liberdade, os que protestam na rua, como em França, contra os eleitos pela maioria, os que se acantonam e agarram a todas as oportunidades para impedir o progresso e o normal funcionamento das instituições. É dessa escola que bebe o Sá.

Quem acompanhou a vida de Lisboa nos últimos dois anos assistiu ao funcionamento em pleno da máquina trauliteira que é o Sá. Ele andava por todo o lado, aparecia em todo o lado, espécie de emplastro mediático com direito de antena. No fundo, o Sá é o Emplastro de Lisboa. Não tem os dentes podres mas só solta aleivosias. Não avança com uma proposta útil mas tenta bloquear todas as propostas que apareçam. Era vê-lo, saltitante, anunciando que o executivo camarário tinha caído ainda antes de acontecer. Parecia aquelas crianças que saltam de contentes quando recebem um brinquedo novo depois de terem arrasado com os nervos dos pais.

Mesmo em relação àquilo de positivo que se fez em ano e meio de mandato o Sá tentou colocar obstáculos. Por exemplo, no fim da precaridade dos vínculos de trabalho. A criação do Quadro de Direito Privado, que vai dar direitos e segurança aos quase 2000 trabalhadores com vínculo precário que a CML tem, contou com a oposição do Sá. Ele que tanto fala na televisão contra os vínculos precários foi o único vereador - repare-se bem, o único - que se opôs à proposta de acabar com esses vínculos. O Sá, que tanto protestou contra os tamanhos dos gabinetes, tinha 17 assessores. 17! Entre os quais uma senhora que faz uns biscates entre a Praça do Município e São Bento. O Sá, que no fim da obra exigiu que se assacassem responsabilidades pelo atraso, não disse a ninguém que o Túnel do Marquês, que ele seguramente já usou, se atrasou pelos embargos sucessivos que resultaram das acções que interpôs. O Sá é o responsável, único e directo, pelos milhões de euros que a obra custou a mais pelos atrasos que se verificaram.

O Sá é a versão mediática do Acácio Barreiros. Para quem se lembra, o Acácio Barreiros foi durante muitos anos o deputado da UDP na Assembleia da República, que era posto regularmente na rua porque não se sabia comportar, insultava tudo e todos, e procurava boicotar o trabalho do Parlamento. O Sá conseguiu mais. Foi, em grande parte, responsável pela queda de Carmona. É, conclui-se, um agitador do mais fino recorte. Herdeiro digno dos revolucinários franceses do século XVIII. Até certo ponto, é o nosso Robespierre com uma guilhotina diferente.

Mas eu tenho um sonho. É que o Sá, o Fernandes, acabe na guilhotina do escrutínio público.

Anónimo disse...

Bem, vinha para comentar a fotografia, mas o post anterior deixa-me estupefacta. Podemos ter as nossas opiniões, claro que podemos, mas criticar deste modo virulento um homem graças ao qual se tem denunciado tanta corrupção e incompetência parece-me no minimo estranho. Olhe caro Senhor ou senhora, graças a Deus que este homem se tem mexido, esperemos que muitos Sás - como a Helena Roseta, o arq. Ribeiro Teles, etc. - tragam competência e ética para nos ajudar a repôr de pé esta cidade à beira mar plantada.

Anónimo disse...

E se, em vez de virem aqui comentar ou expor assuntos que nada têm a ver o (triste) facto de que REALMENTE há gente capaz de fazer algo como aquela inebriante (a nível de riso) e absurda obra, levantassem é o traseiro da cadeira onde estão sentados e fizessem algo de FACTO, não seria melhor? A mim tanto me faz o Sá, como a Roseta, como o Teles. É-me totalmente indiferente, já que está mais que provado que: vivemos em Portugal e não há nada a fazer. Os nossos po(ia)líticos estão-se puramente marimbando para nós, e nós, como sempre desde o dia 25 de Abril de 1974, nem queremos saber (pois, o povo é sereno)...Admira-me é de todo, 33 anos a viver e aturar esta gentinha à custa no nosso voto, que ninguém ainda tenha aberto BEEM os olhos e reparado que descaradamente, gozam com a nossa cara. Portanto, deixem-se é de lérias e mão à obra. Ao que me toca, doa quem doer;Tal nunca me inibiu de reclamar NA ALTURA E SÍTIO CERTO. E vocês,reclamam? Trabalhem,lutem e UNAM-SE mas é, e deixem-se de teorias...É de todo cansativo estar rodeado de "teoristas apolíticos" que nada mais fazem do que apontar os erros dos outros..BAH!