terça-feira, 7 de fevereiro de 2006

ESTAVAS TU Ó LINDA INÊS POSTA EM SOSSEGO

Não que eu tenha nascido com uma luzinha na ponta do dedo (ainda que, com o advento dessas fantásticas superfícies comerciais que dão o nome da origem a tudo aquilo que nos outros é disfarçado com uma etiqueta ocidental, fosse fácil e barato desencantar uma que se adaptasse imperfeitamente à torta anatomia que me coube por sorte) ou consiga fazer levitar bicicletas sobre subúrbios mais ou menos glamorosos (o que, com o aproximar da idade do reumático (mais mental que real, enfim) daria muito jeito nos passeios de bicicleta organizados pela vizinhança) mas fui logo avisando que me sentiria como o ET no quarto de Elliot ao pisar com canhestra estranheza estes caminhos da Alta.

Pois que em ET viesse se fosse o caso, como ET seria bem-vindo.

E depois pus-me a pensar ...................................................................
...................................................................................


(como é bom de ver, isto era eu a pensar)


... bem vistas as coisas, o que é a Alta de Lisboa (née Alto do Lumiar 20 anos antes do marketing dominar o imobiliário para a classe média) senão um volumoso ET deixado em herança à cidade pela aspiração a resolver problemas de um defunto presidente da Câmara?

E assim cá me encontro (ainda a atarrachar a dita luz que os moldes chineses ainda se encontram na fase em que se encontravam os primeiros radios de pilhas japoneses quando começaram a invadir a Europa: feios e manhosos ainda que apetecivelmente adquiriveis) com assento no lado de cá da audiência (ou seja, escrevendo para uma imensa minoria) em vez de, mudo e ocasionalmente comentador, continuar desse lado daí de onde vocês me leem.

E descansem: textos encaracoladamente renitentes como este só ocasionalmente verão a luz do dia. Ou, se preferirem a analogia, raramente subirão à Alta.

4 comentários:

Rodrigo Bastos disse...

Sê bem vindo :)

Tiago disse...

Bom começo, Pedro! Estou a esfregar as mãos à espera de mais. Tu sabes que sim...

Eva Luna disse...

Moro na Alta de LIsboa mas não ligo nenhuma ao que se passa. Se é bom ou se é mau, isso não me interessa. Interessam-me mais os meus poemas e as minhas divagações. Isso, sim, é que interessa. O resto, é para os operários. Um beijo

John boy disse...

I´ve been in Lisbon 4 years ago. I adored it!
It´s pitty that I read all these post in english